Em tempos em que o Brasil defende cada vez mais a realização do parto normal, um vídeo inusitado impressionou o mundo nos últimos dias. Tudo porque um médico austríaco, durante a realização de um ultrassom no período de pré-natal, simplesmente mudou a posição da criança dentro da barriga da mãe, girando-a ainda no útero. Chamada de versão cefálica externa, a técnica tem 50% de chances de êxito e é muito utilizada na Europa para mudar a posição do feto de maneira natural, tirando-o da posição pélvica (bebê ‘sentado’) para a posição cefálica (com a cabeça para baixo).

No vídeo em questão, o médico obstetra Andre Bisits gira, com muito cuidado e muita habilidade nas mãos, o feto.

Publicidade
Publicidade

E tudo acontece em questão de minutos. Com o auxílio do ultrassom, ele inicia rapidamente o processo na paciente Christy Rojas, que desde que engravidou tinha o sonho de ter o filho por #parto normal. E apesar de ter tentado uma série de técnicas naturais para fazer com que o bebê ficasse na posição correta, só conseguiu ter êxito em sua missão com a ajuda do especialista, já na 37ª semana de gravidez. A olho nu, a técnica parece bastante incômoda. Porém, de acordo com Christy Rojas, o procedimento foi fácil, segundo declaração dada por ela ao jornal Daily Mail.

Aqui no Brasil, este tipo de procedimento não é comum, apesar de não existir nenhuma lei proibindo-o Uma das justificativas para evitar este tipo de manobra é de que o manuseio pode acarretar determinados riscos para a mãe e o feto.

Publicidade

Por isso, a técnica só pode ser realizada após a 36ª semana de gravidez e com expressa orientação médica. O especialista terá que avaliar a situação do cordão umbilical, o líquido amniótico, e onde a placenta está localizada. Além disso, todo o procedimento deve ser feito em ambiente hospitalar especializado e equipado, caso surja alguma eventualidade. Vale lembrar que, atualmente, somente 3% de todas as gravidezes mantém o bebê ‘sentado’ após a 32ª semana, já que, naturalmente, após este período, o feto já se prepara para o parto.

#Maternidade #Saúde