O Brasil enfrenta desde 2014 uma batalha contra o mosquito Aedes, transmissor de doenças como a Dengue, Febre Amarela, Zika vírus e Chikungunya. O Aedes já foi combatido em outras ocasiões com a Febre Amarela e a Dengue, mas as outras duas doenças, Zika vírus e Chikungunya, são novas no país. Os governos federal e estadual, bem como municípios, trabalham arduamente lançando campanhas, envolvendo a população e monitorando o que se tem feito para evitar a proliferação do Aedes.

Todo cuidado é pouco, uma vez que há muitos casos de infecções no Brasil e vários de morte por causa das doenças causadas pelo vírus transmitido pelo Aedes.

Publicidade
Publicidade

Lembrando também sobre os bebês que nascem com microcefalia, anomalia associada ao Zika vírus.

Apesar de todo o trabalho dos órgãos públicos e do envolvimento da população, a guerra continua, pois ainda há proliferação do mosquito Aedes. Alguns lugares do país têm problemas mais sérios, pois não conseguem dar conta de evitar a reprodução do mosquito.

Mato Grosso tem criadouros de mosquito da dengue em reservatórios de água

Um dos lugares com problemas em diminuir e evitar a proliferação do Aedes é o Mato Grosso. Alguns moradores possuem reservatórios de água para armazenamento durante a estiagem, onde é importante manter os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito. O caso é bastante grave, pois neste ano já foram registrados 199 casos de Dengue na cidade, além de 1,2 mil casos de vírus da Zika.

Publicidade

Além dos reservatórios, Mato Grosso também tem problema com o lixo

O lixo também virou potencial criadouro do mosquito Aedes ─ um problema enfrentado desde 2015, quando 46% do lixo era depósito predominante (lugar que armazena água, onde a fêmea deposita seus ovos) de criadouros. Esse percentual no ano de 2016 subiu para 61%, ou seja, todas as ações para ajudar a prevenir a proliferação não estão sendo o bastante e nem eficazes.

Esses casos no Mato Grosso servem de alerta à toda a população brasileira, que pode achar que tudo está sob controle, mas não está. Todos os cuidados ensinados nas campanhas devem se tornar hábito. Cuidar para não deixar água acumulada, colocar tela em ralos e reservatórios de água, não acumular lixo no quintal de casa, entre outros cuidados, são essenciais para que se consiga controlar o crescimento da população de mosquito Aedes. #aedes aegypti #mosquito da Dengue #campanha combate mosquito