Sim, esse pensamento existe e acomete pessoas bem-sucedidas no que fazem. Essas pessoas acreditam que o reconhecimento veio por meio de sorte ou aquele dia era o dia delas - aquele dia onde tudo dá certo - mas nunca por meio de sua inteligência e capacidade. Mas isso não se trata de baixa autoestima - que é uma opinião sobre você - e sim de uma síndrome que se mostra no lado profissional. Esses sintomas foram identificados em 1978 pela primeira vez e atingem mais de 70% da população, a maioria são mulheres.

A síndrome do impostor

A síndrome trata-se de como a pessoa se sente uma impostora no local de trabalho, ou seja, pode ser bem-sucedida, ganhar milhões de elogios, ganhar vários prêmios, mas nunca creditar isso a sua inteligência e capacidade e sim por pura sorte ou acaso.

Publicidade
Publicidade

E com este pensamento acha que estão enganando as pessoas ao seu redor, que não é nada daquilo que muitos pensam, e que um determinado dia vão ser descobertas. Isso acontece geralmente quando saem da universidade para o mercado de trabalho e tudo se torna mais exigente. O padrão de profissionais "espelhos" são altos e não admitem serem menos que isso.

A manifestação da síndrome

Geralmente as manifestações da síndrome começam com essas questões. A partir daí é necessário procurar ajuda.

  • Me achar menos competente do que sou e do que os outros falam;
  • Só estou aqui por pura sorte, estava no lugar certo, na hora certa e alguém me ajudou;
  • Tenho medo que as pessoas descubram minhas falhas e erros;
  • Sempre estar se comparando com os outros e se achando menos capacitada;
  • Receber elogios é um fardo;
  • Não aceitar grandes trabalhos ou adiar por medo de não conseguir realizá-los.

E as implicações na vida profissional?

Deixar trabalhos importantes para depois porque acham que não vão conseguir realizá-lo, deixar a vida pessoal de lado porque trabalham cinco vezes mais para compensar todos os elogios e reconhecimentos e assim sabotam a vida pessoal e profissional.

Publicidade

#Síndromedoimpostor #coachdecarreira

Passos para superar a síndrome

  • Aceite elogios e não se compare com os outros;
  • Tenha pessoas confiáveis ao seu lado, que te digam com sinceridade quando um trabalho está bom ou ruim;
  • Tenha em mente que não existe uma super mulher;
  • Seja mais branda, não se cobre tanto. Olhe sempre pra frente e faça;
  • Todos são suscetíveis a erros e todos têm suas inseguranças. Erros são oportunidades de melhorar e não questionar sua inaptidão;
  • Faça uma lista dos elogios que já recebeu e sempre leia quando a insegurança chegar;
  • Não esqueça da vida pessoal;
  • E por último: aceite e procure um coach de carreira ou um psicólogo, que pode te ajudar no autoconhecimento e orientação vocacional e não deixar o pensamento de se sentir uma #fraude se tornar um vicio na vida profissional.