Pela primeira vez cientistas conseguem combinar células-tronco de #Humanos e #porcos, o que tem como objetivo, facilitar o desenvolvimento do sistema de transplante de órgãos de acordo com o estudo publicado na revista científica Cell.

O estudo encontra-se em fase preliminar e como esperado, de difícil êxito. De acordo com o professor Juan Carlos Izpisua Belmonte, professor do laboratório de expressão gênica do Instituto Salk, Califórnia '' O objetivo final é desenvolver tecidos e órgãos funcionais e transplantáveis, mas a estrada ainda é longa''

No experimento foram usadas células tronco adultas humanas em embriões de um suíno, a concepção se foi dada em útero de porcas, sendo o #embrião extraído após 4 semanas.

Publicidade
Publicidade

Impasse bioético

O experimento levanta questões polêmicas, como a banalização da vida pelo uso desses novos seres criados a partir do experimento. Seria um caminho seguro fazer-se pensar que a criação de seres para a substituição e transplante de órgãos é algo necessário, natural, e que se apresenta como um real avanço para a longevidade da vida humana?

“Ter embriões estocados em laboratório é um evento tão novo e diferente para a humanidade que ainda não tivemos tempo de amadurecer essa ideia”, diz José Roberto Goldim, professor de bioética da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. “Biologicamente, é inegável que a formação de um novo ser, com um novo código genético, começa no momento da união do óvulo com o espermatozóide. Mas há pelo menos 19 formas médicas para decidir quando reconhecer esse embrião como uma pessoa.”

Questões como essa tem o poder de levantar a revolta até mesmo de religiosos.

Publicidade

A manipulação genética é um tema polêmico pois desde sempre passa por questões na visão de alguns como imorais.

Calum Mackllar, professor de Bioética da Universidade de St. Mary em Londres e condena tais práticas. “Permitir a manipulação genética de embriões humanos abre caminho à eugenia condenada pela sociedade civil após a Segunda Guerra Mundial”, declarou. “Os embriões serão tratados como cobaias humanas”, finalizou MacKellar. (LZ/RB)

Outros casos

Em outros experimentos, como o artigo ''The African coelacanth genome provides insights into tetrapod evolution'' publicado na revista científica Nature , através da manipulação dos mecanismos de expressão gênica já foram feitos embriões híbridos de ratos com peixe para provar nossa linhagem evolutiva provinda dos peixes.

Estudos que tangem o desenvolvimento da vida estão ficando cada vez mais populares, pois nessa fase muitas mistérios podem ser desvendados, uma vez que embriões são organismos ainda muito simplificados e que se demonstram muito parecidos nas fases iniciais em diversas espécies.