De acordo com o site britânico Daily Mail, o cientista Simon Foster, físico do Imperial College London (Colégio Imperial de Londres), afirmou que 2017 tem boas chances de se tornar o ano em que, definitivamente, surja uma resposta afirmativa a uma das indagações que mais instigam a humanidade: estaríamos sozinhos no Universo?

O mais impressionante é que existe a possibilidade de que sejam encontrados organismos extraterrestres dentro do próprio Sistema Solar – mais especificamente, seres microbianos habitando algumas das luas de Saturno.

Um fator que auxilia neste cenário é que já existe uma missão não tripulada, criada em uma parceria entre a NASA, a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Italiana (ASI), que está estudando o sistema saturniano, conhecida como Missão Cassini-Huygens, que terminará suas análises em setembro de 2017.

Publicidade
Publicidade

Cassini foi lançada no dia 15 de outubro de 1997, e chegou à órbita de Saturno no dia 1º de julho de 2004. Desde então, a missão tem estudado o planeta, seus anéis e suas luas, e já fez descobertas memoráveis, como, por exemplo, a constatação da existência de um oceano global abaixo da superfície congelada da lua Encelado, além de encontrar mares compostos de metano na lua Titã.

Segundo o Daily Mail, o "ato final" de Cassini está previsto para acontecer no dia 15 de setembro deste ano, quando a sonda (que já está quase sem combustível) irá mergulhar na atmosfera de Saturno – momento em que enviará à Terra seus últimos dados, antes de ser destruída pela queda.

Proxima b

Outro alvo promissor que está na mira dos cientistas que procuram por vida extraterrestre é o exoplaneta Proxima b, descoberto em agosto de 2016 orbitando a estrela mais próxima do Sol, conhecida como Proxima Centauri.

Publicidade

Este planeta está a 4,2 anos-luz de distância da Terra, ou cerca de 40 trilhões de quilômetros. Cálculos feitos por astrofísicos do Centre national de la recherche scientifique (CNRS, ou Centro Nacional da Pesquisa Científica), da França, indicam que Proxima b pode ser um mundo oceânico assim como a Terra, já que também se encontra dentro da chamada "zona habitável" de sua estrela – uma região orbital que permite a existência de água líquida (ingrediente essencial à vida como é conhecida) na superfície planetária.

Ainda de acordo com o Daily Mail, em 2017, astrônomos irão monitorar "de perto" aProxima b e seu sol através do uso de uma coleção de telescópios gigantes, incluindo o European Extremely Large Telescope, na esperança de encontrar evidências de vida alienígena habitando este mundo. #Nasa #Curiosidades