A depilação íntima costuma ser uma rotina para a maioria das mulheres, seja com lâmina, cera, cremes depilatórios ou até mesmo a depilação definitiva feita em consultórios médicos com o famoso laser, o fato é que remover totalmente os pelos da região íntima podem aumentar em 80% a DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Nos Estados Unidos, remover totalmente os pelos da região íntima, é uma técnica conhecida como "depilação brasileira", isso porque no Brasil, devido ao clima quente e aos costumes, as mulheres costumam usar peças íntimas muito pequenas comparadas aos outros países, e consequentemente a depilação escolhida acaba sendo a total.

Publicidade
Publicidade

Porém, quem tem o hábito de remover todos os pelos da região pubiana, pode estar prejudicando a sua #Saúde sem saber. Essa afirmação vêm de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia e também da Universidade do Texas.

Os pesquisadores descobriram que as mulheres quem tem o hábito de remover totalmente os pelos íntimos tem mais incidências de doenças como herpes e chato.

A pesquisa contou com a participação de cerca de 7,5 mil norte-americanas com idades entre 18 e 65 anos. Os resultados foram surpreendentes e mostraram que as mulheres que costumam remover totalmente os pelos pubianos pelo menos mais de 11 vezes ao ano são mulheres que mais sofreram com algum tipo de DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Mas como os pesquisadores chegaram a essa conclusão?

Toda depilação, pode causar algum tipo de irritação na pele se não for executada corretamente e consequentemente micro-lesões, essas lesões são responsáveis por aumentar o risco de infecção na região afetada, as doenças cutâneas principalmente.

Publicidade

A pesquisa também descobriu que mulheres que removem totalmente os pelos pubianos, costumam ter mais parceiros sexuais ao longo da sua vida, e eventualmente praticam relações sexuais sem nenhum tipo de proteção, o que pode aumentar ainda mais o risco de infecções. Os médicos alertam que não é saudável remover totalmente os pelos da região íntima, pois eles são os responsáveis pela proteção da região. #Comportamento #Doença