Uma questão que atormenta os casais durante a gravidez é se ele pode continuar mantendo relações sexuais durante o período. Há algum efeito negativo para a gestante ou para o bebê? Segundo Mirna Nakano, ginecologista e obstetra, não há problema no #sexo durante a gestação, mas certas precauções são necessárias, ainda mais se a gravidez apresentar características como sangramento ou placenta baixa.

A dificuldade mais comum, no entanto, é o crescimento da barriga da grávida, que pode tornar a mecânica do ato um pouco mais complicada e desconfortável. Por isso, a médica sugere que os casais escolham nesse período posições nas quais seja mais fácil fazer sexo.

Publicidade
Publicidade

De lado, por exemplo, é uma boa ideia, segundo a médica, pois não fica nada em cima da mulher. O sexo com a mulher em cima ela não recomenda porque, nesta posição, a penetração é mais profunda e, estando com o útero inchado, a mulher tende a sentir desconforto.

Outro problema, explica a médica, é que as mulheres durante a gravidez, tendo engordado, se sentem feias e acabam evitando o ato sexual. Ela diz que as gestantes devem valorizar as mudanças corporais pelas quais estão passando. Além disso, nos primeiros meses da gestação, por conta da ação do hormônio progesterona, a libido da mulher cai um pouco, mas nos meses seguintes aumenta.

Apesar da liberação para o sexo durante a gravidez, a médica avisa que o casal deve se manter atento. A mulher pode sangrar durante a relação. Acontece que o colo do útero, a parte do útero localizada no fim do canal vaginal, pode ter uma "falsa ferida", chamada de ectopia pelos médicos (mais comum nas grávidas, jovens e usuárias da pílula).

Publicidade

Assim sendo, em caso de sangramento, melhor consultar um médico, para que se possa saber qual a natureza do fenômeno. Sangramentos pouco abundantes e escuros geralmente não são graves, não costumam demandar urgência e acontecem normalmente durante o período. Sangramentos abundantes e de um vermelho mais vivo podem ser sinal de que o saco gestacional foi tirado do lugar.

A profissional de saúde diz que, embora algumas pessoas associem o sexo durante a gestação com o aborto natural do feto, isto está longe da verdade. A doutora Nakano diz, porém, que nos quarenta dias imediatamente posteriores ao parto, o sexo deve ser evitado (o que para alguns pode parecer estranho já que ele é permitido no auge do processo de transformação do corpo da mulher e quando poder-se-ia pensar que haveria risco para o bebê ou para a mãe), mas ela explica que este período pós-parto é um período de cicatrização e há riscos, tais como o de infecções. #Maternidade