Apesar de ser chamado de “planeta vermelho”, inspeções no solo de Marte, feitas pelo jipe-robô Curiosity, da Agência Espacial Americana (NASA), têm mostrado a existência de outras cores na inóspita paisagem do astro.

Agora, de acordo com informações da emissora FOX News, de terça-feira (3), o Curiosity fotografou rochas de cores roxas, espalhadas próximas a uma cadeia de montanhas, conhecida como ‘Monte Sharp’.

Conforme a emissora, as inusitadas imagens foram registradas por meio de uma câmera acoplada ao jipe-robô, em 10 de novembro passado.

Em comunicado à imprensa, oficiais da NASA explicam que a variação de cor nas rochas, indica a diversidade de materiais compostos no solo daquela região.

Publicidade
Publicidade

Segundo os cientistas, a tonalidade roxa observada nas pedras de Marte, também foram vistas em outras rochas, onde o equipamento de mineralogia do Curiosity detectou a presença de hematita – mineral constituído por 70% de ferro e por 30% de oxigênio (Fe2O3).

Eles relacionam o êxito da descoberta ao fato de naquela época do ano (novembro), o vento influenciar na ‘limpeza’ das rochas, impedindo que elas tivessem a verdadeira coloração camuflada pela poeira.

"Areias trazidas pelo vento nesta parte da travessia do Curiosity e nesta época, tendem a manter rochas relativamente livres de poeira, que de outra forma podem encobrir a cor das rochas”, destaca a NASA.

Pesquisadores ainda ressaltam a possibilidade do jipe-robô - desde 2012 inspecionando a região -, ter encontrado evidências que sugerem a área do Monte Sharp, como apta para ter abrigado vida microbiana num passado remoto.

Publicidade

Com objetivo de aprender ainda mais sobre o pretérito do “planeta vermelho”, o Curiosity continuará a analisar as diferentes composições de rochas naquele ambiente.

“Em seguida, o rover subirá para cima para a Unidade de Hematita, seguido pela Unidade de Argila e as colinas arredondadas da Unidade de Sulfato - que é o maior destino planejado do Curiosity. Estudar a composição dessas diferentes camadas de rochas pode ajudar os cientistas a aprender mais sobre o passado de Marte”, comunica a agência espacial.

Tudo indica que o planeta ainda tem muito a revelar. #Inovação #Mídia #Curiosidades