De acordo com o site Daily Mail, do Reino Unido, pode até não parecer, mas a calvície masculina é capaz de trazer benefícios para seus portadores, mesmo que esta seja considerada uma característica "ruim".

Por volta dos 35 anos de idade, aproximadamente 45% dos homens de todo o mundo irão apresentar algum grau de perda visível de cabelo – não importando a qual grupo étnico pertençam –, e aos 60 anos, esta média atinge os 65%.

A calvície masculina muitas vezes está relacionada com fatores hereditários e ocorre quando os folículos pilosos – estruturas a partir das quais o cabelo cresce – são expostos a uma quantidade excessiva de di-hidrotestosterona (DHT), substância produzida pelo hormônio testosterona, que é predominantemente masculino.

Publicidade
Publicidade

A presença de muita DHT no sangue acaba encolhendo os folículos pilosos, fazendo com que o cabelo passe a ficar cada vez mais fino e a crescer por menos tempo do que o considerado normal.

Segundo o Daily Mail, homens calvos são tipicamente vistos como menos atraentes. Há alguns anos, cientistas da Universidade de Barry (localizada na Flórida, EUA), liderados pelo Dr. Frank Muscarella, quiseram entender porquê uma característica considerada "ruim" acabaria sendo transmitida geneticamente. Ees conduziram uma pesquisa que revelou que a calvície pode proporcionar uma série de benefícios.

Benefícios sociais e fisiológicos

No estudo do Dr. Muscarella, os cientistas pediram que voluntários vissem e avaliassem uma série de homens, atribuindo-lhes notas em quatro escalas diferentes, que englobavam, entre outros fatores, atratividade física, agressividade, maturidade, honestidade, inteligência e status social.

Publicidade

Os resultados mostraram que os homens calvos receberam as melhores notas em quesitos envolvendo as qualidades mais desejáveis nas relações sociais, tais como maturidade e diplomacia, ao passo que os homens sem calvície foram classificados como mais atraentes, só que mais agressivos e imaturos.

Para Muscarella, a conclusão é de que a calvície evoluiu para ser uma espécie de dominação social benigna, que permite aos seus portadores se impor sem parecer ameaçadores. Adicionalmente, um novo estudo realizado pelo mesmo pesquisador revelou que não há nenhuma relação depreciativa entre o grau de calvície exibida e o número médio de relacionamentos amorosos que um homem tem durante a vida.

Além disso, ainda de acordo com o Daily Mail, calvos tem menos risco de desenvolver câncer de próstata. A constatação foi feita por cientistas da Universidade de Washington School of Medicine, que avaliaram dois mil homens com idades entre 40 e 47 anos – metade dos quais tinham desenvolvido a doença. #Ciência #Curiosidades #Medicina