A Apneia Obstrutiva do #Sono (AOS) pode ser definida como uma interrupção do fluxo de ar durante o sono (apneia) ou obstrução parcial desse fluxo (hipopneias). Essas obstruções ocorrem devido ao relaxamento da musculatura da orofaringe que acaba obstruindo a passagem do ar para os pulmões.

Existem fatores de risco que podem predispor a AOS como a obesidade, fumo, história familiar, uso excessivo do álcool, alterações da estrutura muscular orofaríngea, dentre outras.

A AOS leva a uma redução constante do nível de oxigênio nos tecidos devido aos bloqueios. Essa redução traz consequências cardiovasculares graves como hipertensão e doenças vasculares sérias, que contribuem para a mortalidade dos pacientes.

Publicidade
Publicidade

Os despertares noturnos frequentes, devido a AOS, levam a distúrbios diurnos como ansiedade, sonolência excessiva durante o dia, picos de pressão, irritabilidade, queda da criatividade e do desempenho, ineficiência da memória. A cada dia, as noites sem um sono reparador, agravam ainda mais as complicações tornando-se crônicas.

Um dos sintomas mais característicos da AOS é o ronco, presente em cerca de 95% da população e o primeiro a ser percebido pelo(a) companheiro(a). Vale lembrar que nem todo indivíduo que ronca, tem apneia obstrutiva, mas é fato que aqueles que apresentam diagnóstico de AOS, roncam.

O levantamento clínico é o principal meio diagnóstico tendo como suporte a polissonografia, que o principal meio laboratorial para fechar o diagnóstico da AOS. Hoje em dia, existem dois tipos de exame polissonográfico mais utilizados, o completo, realizado em clínica do sono em que há um multimonitoramento das variáveis fisiológicas, e a realizada no próprio domicílio do paciente, onde o equipamento portátil apresenta as variáveis necessárias para apenas o monitoramento do número de apneias e hipopneias.

Publicidade

Um dos tratamentos, e considerado o tratamento de ouro da apneia obstrutiva do sono, é o uso de geradores de fluxo contínuo, os chamados #CPAP. Esses equipamentos geram uma pressão positiva em todo o sistema respiratório, evitando a obstrução da via aérea. Dessa forma, evita a queda de oxigênio no organismo e suas complicações, como evita os microdespertares característicos dessa síndrome. Junto com a escolha correta da máscara, o tratamento tende a ser efetivo, desde que realizado a adaptação do equipamento com o Fisioterapeuta especialista em #sono. Após a escolha do equipamento e máscara idéias para o tratamento, o uso diário e os relatos farão da adaptação à terapia com pressão positiva mais satisfatória e eficaz. #fisioterapia