Formas de vida que estavam "adormecidas" há milhares de anos dentro de cristais na caverna de Naica, no México, foram extraídas e, posteriormente, revividas.

A caverna de Naica foi encontrada há mais de um século por mineiros que estavam em busca de ouro e prata para extração. Esta caverna ficou conhecida, porque muitos organismos presentes nela conseguem viver em condições impossíveis. Acredita-se que estes seres ficaram encapsulados em pedras de gesso que variam de 10 a 50 mil anos. Com isto, esta caverna é perfeita para cientistas fazerem pesquisas.

A temperatura da caverna não é nada favorável para a sobrevivência humana, variando de 40°C para 60°C.

Publicidade
Publicidade

Além disso, a caverna tem o ambiente úmido e ácido. Mesmo nestas condições extremamente difíceis, há organismos que conseguem sobreviver com a quimiossíntese, que é o processo pelo qual extraem a energia de que precisam da oxidação dos minerais.

Os cientistas já estavam cientes de que estes organismos estavam localizados nas paredes da caverna, mas não faziam ideia de que conseguiriam extrair exemplares. Isso só foi possível porque as pedras de gesso em que os organismos se encontravam demoram milhares de anos para chegar ao tamanho atual e há alguns defeitos, vazios, nos quais possuem fluidos que acabaram sendo encapsulados.

Os cientistas utilizaram ferramentas esterilizadas para abrir alguns destes espaços vazios das pedras de gesso e retiraram algumas amostras. Após isto, detectaram a presença de bactérias e arquéias nos exemplares retirados da caverna e conseguiram reanimar estes seres em laboratório.

Publicidade

"Outras pessoas já haviam afirmado ter encontrado organismos muito antigos ainda vivos, mas neste caso todas essas criaturas são excepcionais - elas não são parentes próximas de nada que esteja nos bancos de dados genéticos conhecidos.", afirmou Penelope Boston, que foi uma das responsáveis por este achado.

A descoberta fez com que os cientistas chegassem à conclusão de que este é o poder que a vida tem para sobreviver nos ambientes mais hostis possíveis, como esta caverna que não possui recursos suficientes para a sobrevivência de muitos seres conhecidos, porém estes organismos reanimados podem dar esperanças para novas descobertas. #pesquisa #bactérias #Ciência