A #Saúde de uma pessoa, sem sombra de dúvidas, é o bem mais precioso do qual ela pode usufruir e, principalmente, se uma segunda ou mais pessoas estão envolvidas nessa condição de bem-estar físico, mental e emocional. Por exemplo, quando uma #Mulher engravida, isso pode ser sinônimo de profunda felicidade ou justamente o contrário, pode se tornar um fator de tristeza e aborrecimento pela gravidez ter sido um “acidente” ou não ter sido planejada.

A partir da ocasião em que a pílula anticoncepcional foi criada, as relações sociais e sexuais foram diametralmente alteradas em todo o mundo e as mulheres puderam assumir a sua individualidade e a possibilidade de ter prazer sexual sem necessariamente ter a obrigação de engravidar. Tanto é assim que ainda nos dias atuais a pílula anticoncepcional se constitui em um dos métodos mais seguros no que diz respeito à contracepção.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, mesmo esse tipo de fármaco pode vir a falhar se alguns cuidados não forem tomados conjuntamente com o seu uso. Dessa forma, caso as representantes do sexo feminino não queiram ter surpresas inesperadas com bebês a caminho, devem evitar cometer alguns erros crassos que tem consequências que podem se estender por toda a vida.

Saiba os 7 erros que fazem sua pílula anticoncepcional falhar:

  • Não faça a ingestão da pílula anticoncepcional sem que um médico especializado indique. Em muitas situações, os conselhos de um parente ou de uma amiga não podem ser comparados ao diagnóstico preciso de um profissional da área médica. Até mesmo porque um número grande de mulheres se encontra proibido de fazer uso do medicamento contraceptivo, uma vez que o remédio possui também contraindicações que variam de pessoa para pessoa. Daí a importância da análise precisa do médico, que também procura receitar a melhor marca para a saúde da mulher.
  • É muito importante que os horários em que as pílulas são tomadas não mudem drasticamente, devendo haver uma rotina para isso. Caso contrário, sem esse cuidado, o anticoncepcional tem a probabilidade de perder sensivelmente o efeito esperado para o qual foi criado.
  • É desaconselhável que a mulher interrompa a sequência da cartela do medicamento por conta própria sem dar a devida atenção para o período indicado, seja ele menos ou mais do que o prescrito pelo médico ginecologista. Algo diferente disso tem a chance de causar a diminuição da proteção contra uma gestação totalmente fora dos planos da pessoa.
  • A mulher pode tomar até tomar o anticoncepcional corretamente sob orientação médica, mas caso ela se automedique com antibióticos sem o conhecimento do profissional de saúde que a acompanha, além de pôr a sua saúde em perigo, poderá vir a ficar #Grávida, devido ao desequilíbrio causado com a interação nociva dos medicamentos.
  • Outro detalhe que pode vir a se transformar em um problema é o fator obesidade, comprometendo a atuação do contraceptivo. A combinação dos componentes do fármaco em quem está obeso pode causar a conhecida trombose. Vale frisar de que a mulher sedentária também estimula a ineficácia da pílula.
  • O consumo de bebidas alcoólicas em demasia com remédios nunca foi algo aconselhado pela classe médica, o que se for praticado em determinados momentos, tem relação direta com a queda da proteção frente a uma fecundação feminina.
  • O excesso de controle também é algo negativo. Tanto é assim que ingerir “pílula do dia seguinte” mais o anticoncepcional habitual não é algo inteligente a ser feito, devido ao alto índice de hormônio que se fará presente no organismo, o que desregula totalmente o ciclo menstrual.