A famosa dor nas costas é algo que você já sofreu um dia, e se não sofreu ainda, vai chegar seu dia. Mas, para o alívio de todos, existe a famosa Aspirina para sanar os nossos problemas e livrar-nos dessa dor tão incômoda. No entanto, o que seria das pessoas que sofrem desse problema, se um dia essa pilulas "milagreiras" simplesmente deixassem de serem eficazes para esse tipo de dor? De acordo com uma notícia publicada no Science Alert, - site americano de divulgação cientifica - as pilulas de Aspirina podem ser tão eficazes quanto tomar uma pilula de farinha. De acordo com a publicação, o efeito responsável por essa "melhora" está associado ao efeito #placebo, termo bastante usado pelos cientistas.

Publicidade
Publicidade

Mas, claro, antes de tudo, você precisa entender o que é esse "efeito placebo" e o que ele ocasiona nas pessoas.

O efeito placebo não passa de um procedimento inerte, ou seja, sem princípio ativo, que consegue produzir efeitos benéfico ou maléfico para aqueles que utilizam com intuito de melhoria. Resumindo, uma pessoa poderia ser curada de determinada enfermidade, tomando um medicamento que não possui nenhum princípio ativo contra aquela doença. A medicina ainda não conseguiu explicar de fato por que isso acontece ou como acontece, mas em alguns casos, o efeito placebo chega a beneficiar o usuário em até 100%. Vale ressaltar também que o placebo não está presente somente nas pilulas. Os famosos tratamentos espirituais também é considerado um placebo pela comunidade cientifica.

Publicidade

Alguns pesquisadores tentam explicar isso. Alguns afirmam que este efeito está ligado ao psicológico da pessoa. O exemplo a seguir vai esclarecer melhor: "Supondo que determinada pessoa recebe um remédio para dores na cabeça. Dentro desse remédio não existe nenhum princípio ativo contra a dor de cabeça. Tudo que tem lá é farinha. Quando o paciente recebe o medicamento do médico, ele acredita que vai ficar bom, então isso influência em sua melhora." De acordo com muitos pesquisadores, isso explica o efeito placebo.

Voltando à pesquisa, que foi feita pelo Instituto George, para a #Saúde global, na Austrália. Cerca de 6065 pessoas com dores espinhal foram analisadas. De acordo com a pesquisa, cerca de 6059 pessoas apresentaram uma melhoria, no entanto, outras seis pessoas que participaram, não tiveram nenhuma melhora no seu quadro, comprovando que o motivo da melhoria dos demais pacientes não foi ocasionada pelo remédio, e sim, pelo efeito placebo. Assim como a Aspirina, o Ibuprofeno também possui um efeito parecido, se mostrando pouco diferente de um placebo.

Publicidade

Ainda de acordo com a pesquisa, esses medicamentos não só possuem efeito algum, como também são responsáveis por desenvolver sagramentos gastrointestinais e podem até causa problemas vasculares futuramente.

Os cientista entendem que uma notícia como essa pode ser considerada "sombria". Vale ressaltar, que o objetivo da pesquisa não foi acabar com as esperanças daqueles que sofrem com esse problema, e sim, evitar problemas piores. Se a aspirina e o Ibuprofeno não causam nenhum efeito positivo, então porque usá-las? Esse é o objetivo da comunidade, tentar melhorar cada vez mais a qualidade de vida da sociedade. #Ciência