De acordo com o Conselho Regional de Odontologia do Estado de São Paulo (Crosp), a prática de beijar várias pessoas em blocos carnavalescos pode ser muito perigoso para quem pratica o ato. Isso porque, de acordo com o órgão, as pessoas que saem beijando nos bloquinhos de #Carnaval durante os mais de quatro dias de festas correm um sério risco de contraírem doenças perigosíssimas, como é o caso da #Sífilis e do herpes – esse último incurável.

Segundo Fabio de Abreu Alves, responsável técnico da Câmara de Estomatologia do Crosp, os beijoqueiros de Carnaval correm risco de contraírem e disseminarem vírus, bactérias e fungos que podem estar presentes na saliva das pessoas.

Publicidade
Publicidade

O dentista alerta que, quando estão curtindo, grande parte das pessoas se esquece de se alimentar bem, com frutas e verduras, e ingerir certa quantidade de água suficiente para manter o corpo protegido. Além disso, muitos foliões passam os dias consumindo muita bebida alcoólica. Com isso, o seus organismo fica fracos à mercê dos organismos invasores que trazem as doenças.

“Principalmente no Carnaval, em que as pessoas comem pouco e bebem muito, ficam com o organismo um pouco mais suscetível”, afirma Alves. Além da sífilis e do herpes, que podem ser transmitidas através de um simples #beijo, doenças como o sapinho, a mononucleose, a cárie e a gengivite também podem ser transmitidas facilmente, de boca em boca, através da saliva dos foliões.

Como se prevenir

Alves diz que a alimentação saudável e variada ajuda na criação de uma boa defesa do corpo contra os organismos invasores.

Publicidade

Ou seja, comer bem, dormir bem e beber bastante água são os primeiros passos para as pessoas que não perdem a diversão do Carnaval. Outra dica do dentista é sempre estar com a boca devidamente higienizada: escovar os dentes e usar fio dental, além de enxaguante bucal, que também ajudam na defesa do organismo.

Por fim, o especialista lembra que é importante o folião está atento à boca da pessoa que irá beijar. Segundo o doutor, existem sinais como boca seca, sangramento e gosto amargo na boca do outro, que podem indicar doenças transmissíveis. Fique atento!