A #Nasa anunciou hoje (22), em uma coletiva de imprensa, a descoberta de um sistema solar, contendo 7 planetas com características bastante similares às da Terra.

Este sistema solar se encontra a cerca de 39,5 anos-luz do nosso Sol e, aparentemente, pelo menos 6 deles são rochosos e tem condições favoráveis à existência de água em estado líquido em sua superfície.

Estes planetas encontram-se orbitando uma estrela-anã denominada TRAPPIST-1, cuja energia é bem mais fraca do que a do Sol, o que faz com que os planetas em sua órbita necessitem estar em órbitas mais próximas da estrela do que as dos planetas de nosso sistema em relação ao nosso Sol para abrigar vida, segundo um dos autores do estudo, Amaury Triaud.

Publicidade
Publicidade

Eles também estão muito próximos entre si.

Os planetas foram encontrados através de telescópios em terra e também no espaço, incluindo o Grande Telescópio ESO, localizado no Chile. Quando estes corpos passaram em frente à TRAPPIST-1, causando oscilações no brilho da estrela, foi possível para os cientistas calcular o tamanho, composição, rotas das órbitas e as temperaturas destes mundos; 6 desses planetas também apresentaram temperaturas semelhantes às da Terra.

Também foi possível mensurar que estes corpos celestes possuem períodos de translação - tempo gasto para que o planeta dê uma volta completa ao redor da TRAPPIST-1 - menores do que os do nosso Sistema Solar; o planeta mais próximo da estrela-anã completa a volta em torno da estrela em cerca de dois dias terrestres. Em outras palavras, podemos dizer que o ano deste planeta dura apenas dois dias da nossa Terra.

Publicidade

Os planetas com maiores possibilidades de conter vida foram batizados, por enquanto, como TRAPPIST-1 e, f e g, que escontram-se na chamada ''zona habitável'', com órbitas que possibilitam a existência de água em estado líquido em sua superfície sob condições ideais de pressão atmosférica.

Segundo Michael Gillon, principal autor do artigo científico que anunciou a grande descoberta, é a primeira vez que são encontrados tantos planetas desse tipo próximos a uma mesma estrela.

A NASA já havia descoberto planetas similares à Terra antes, porém, em sistemas solares muito mais distantes do nosso.

A proximidade deste recém-descoberto sistema solar pode facilitar, e muito, os estudos a respeito destes novos planetas, especialmente a partir de 2018, ano em que está previsto o lançamento em órbita do Telescópio Espacial James Webb .

Publicidade

Os cientistas acreditam que, nos próximos anos, seremos capazes de descobrir muitas informações sobre estes sete planetas.

Veja o vídeo oficial sobre a descoberta abaixo:

#Universo #Ciência