Fomos ensinados equivocadamente a odiar a #gordura natural dos alimentos. Desde os anos 60, um movimento contra a gordura fez com que todos aprendêssemos a morrer de medo das carnes gordurosas e de tudo aquilo que tivesse qualquer gordura como componente. Resultado? A cada geração que passa, maior a quantidade de pessoas obesas. Comemos queijo ricota, barrinhas de cereais, pães integrais, leite desnatado, creme de leite light, etc. E mesmo assim, de modo geral, a conta da balança não fecha.

Por que estamos mais gordos se comemos cada vez menos gordura?

É mais simples do que parece. Para diminuir a quantidade de gordura nos alimentos processados, a indústria passou a usar cada vez mais carboidratos (que são transformados em açúcar quando ingeridos) na produção dos alimentos, levando a população a um verdadeiro surto de diabetes e problemas cardiovasculares.

Publicidade
Publicidade

Isto significa que o mercado alimentício tem substituído a gordura natural dos alimentos por componentes processados e cheios de açúcar, que nos fazem engordar mais do que se comêssemos o alimento “in natura”.

Quando você come um creme de leite light, por exemplo, está ingerindo até 4 vezes mais açúcar e, no final das contas, vai ganhar mais peso e se sentirá menos saciado, com aquela sensação de que não comeu o suficiente. Imagine a quantidade insustentável de açúcar que somos influenciados a comer durante um ano, entre os queijos sem sabor, as sobremesas 0 kcal, etc. É um caminho certo para a diabetes. Moral da história: comida de vó é que é saudável, elas sabem de tudo!

Entenda o ciclo do consumo de carboidratos no corpo

1º passo: Quando comemos carboidrato refinado (massas, refrigerantes, guloseimas, barrinhas de cereais, etc.) ele é digerido rapidamente pelo organismo, transformando-se em açúcar no sangue.

Publicidade

2º passo: Por causa da grande quantidade de açúcar no sangue, o pâncreas libera o hormônio insulina. Esse hormônio é responsável por retirar todo o açúcar do sangue e armazená-lo nas células, que utilizarão o açúcar para produzir energia.

3º passo: Os excessos no consumo de carboidratos (principalmente os refinados, provenientes de alimentos industrializados) geram picos de insulina no sangue (causado pelo excesso de açúcar na corrente sanguínea).

4º passo: Esses picos de insulina fazem com que as células estejam sempre abastecidas de energia, tornando desnecessário o uso dos estoques de gordura do corpo (as famosas gordurinhas), e ainda contribui para o acúmulo de mais gordura no organismo.

5º passo: Além disso, o excesso de insulina no sangue afeta a percepção de saciedade, e por isso, pouco tempo depois voltamos a sentir fome, recomeçando todo o ciclo do carboidrato.

O que acontece se eu paro de consumir carboidratos e passo a consumir mais gorduras naturais?

Parando de consumir quantidades excessivas de carboidrato, você automaticamente obriga seu corpo a usar as próprias reservas de energia, eliminando o excesso de peso e fazendo emagrecer.

Publicidade

As gorduras naturais dos alimentos (carnes, vegetais, ovos, etc.) não precisam deixar de ser consumidas, já que não oferecem nenhum risco à saúde e ainda o manterão saciado.

Uma dieta baseada no baixo consumo de carboidratos e no maior consumo de gordura é popularmente chamada de Low Carb, e já é uma tendência no mundo dos famosos.

Além de #perder peso, uma dieta pobre em carboidratos e "High Fat" diminui as chances de vários problemas, inclusive o câncer. #Emagrecimento