A síndrome do pânico é um problema sério, de cunho psicológico onde a pessoa tem a certeza de que irá morrer. A cada dia, mais pessoas começam a ter os sintomas. Muitos procuram ajuda médica, o que é fundamental. Afinal, quanto mais rapidamente for diagnosticado mais rápido a pessoa melhora.

Os sintomas são diversos e variam de pessoa para pessoa. O pânico pode aparecer do nada, seja por uma perda de um ente querido, por estresse excessivo, pode ser hereditário e até mesmo por um momento de extrema felicidade. O principal sintoma é de que vai morrer a qualquer momento, é o medo do medo, pois não tem um explicação, como, por exemplo, morrer de uma #Doença.

Publicidade
Publicidade

Simplesmente, o paciente tem um medo avassalador da morte.

Os sintomas mais comuns são: coração acelerado, falta de ar, sufocamento, tremedeira, sudorese, formigamento na boca, mãos e membros superiores e inferiores, sensação de desmaio, náusea, vômito, desmaio, dor de cabeça e diarreia. O medo é tão intenso e severo que a pessoa não consegue sair de casa e acaba isolando-se da vida social.

Segundo a maioria dos médicos psiquiatras, a síndrome do pânico tem cura, mas há outros que afirmam ter apenas controle. O #Tratamento indicado para este problema é com a ingestão de medicamentos receitados por psiquiatras, que analisará o estágio na doença, qual e a quantidade de medicação deve ser indicada. É fundamental um tratamento psicológico também, pois que o problema é psicológico, que precisar ser trabalhado para que esse medo absurdo vá aos poucos desaparecendo.

Publicidade

Uma vez começado o tratamento com medicação, somente o médico poderá, aos poucos fazer, o "desmame", que nada mais é a retirada aos poucos do remédio. O paciente nunca deve tomar a decisão isolada de parar o tratamento, pois isso pode acarretar uma piora ainda maior no quadro psicológico, levando a crises muito mais severas. Essas crises duram de 10 minutos a 1 hora, podendo ocorrer várias vezes ao dia.

Não existe um tempo determinado para a melhora da síndrome do pânico. Isso depende de cada paciente e da forma que segue o tratamento. As pessoas jamais devem tomar medicamento indicado por um amigo ou familiar que temo mesmo problema, pois somente um médico poderá indicar o remédio certo. #Saúde