O governo brasileiro vai antecipar a #vacinação contra a gripe este ano, tendo em vista o aumento de casos antes do período previsto, em 2016. Além disso, no Hemisfério Norte houve um crescimento nos números de pessoas diagnosticadas com a doença. Apesar desses fatos, não há motivo para preocupação, segundo o otorrinolaringologista Cícero Matsuyama. “Até esse momento, não temos notificações em relação à possíveis doenças graves infecciosas sazonais. O período de inverno do Hemisfério Norte transcorreu sem intercorrências, sem alardes de órgãos competentes sanitários”, explica.

O médico estima que, no Brasil, a temporada das baixas temperaturas deve chegar, sem surtos de doenças infectocontagiosas graves, como as ocorridas em outros invernos.

Publicidade
Publicidade

No entanto, isso não significa deixar as medidas preventivas de lado. Elas são essenciais para evitar a transmissão e devem ser adotadas em todas as estações. Ações simples como lavar as mãos antes e depois das refeições e após entrar em contato com pessoas doentes podem ser muito eficazes.

“Devemos evitar, ao máximo, ambientes com pouca ventilação ou aglomerações de pessoas em locais fechados”, detalha o especialista. Caso exista suspeita de alguma infecção contagiosa, o ideal é evitar o contato direto com as secreções contaminadas. Atos como colocar as mãos ao tossir ou espirrar e desprezar sempre as secreções em locais adequados são de suma importância para evitar a disseminação do agente causador da doença.

As enfermidades campeãs de notificações nos hospitais, nessa época do ano, são as rinossinusites, rinites virais, bacterianas e alérgicas, faringites, amigdalites, laringites, traqueobronquites, bronquites e broncopneumonias.

Publicidade

Pessoas com histórico de problemas com as doenças citadas devem redobrar os cuidados.

A vacinação contra a #gripe, este ano, começará no dia 10 de abril para os profissionais de saúde e 17 de abril para os grupos de risco, como os idosos, gestantes e puérperas (mulheres em fase de pós-parto), crianças entre 6 meses e cinco anos, portadores de doenças crônicas, povos indígenas, presos e funcionários do sistema penitenciário, e deve terminar em 19 de maio. #doenças de inverno