Amamentar traz benefícios para a #Saúde da mãe e principalmente para o bebê. Para começar, cria uma relação intensa e íntima entre a nutriz e a criança recém nascida, além de estimular os hormônios que ajudam o útero a voltar ao seu tamanho normal.

6 dicas importantes

1 - Amamentar ajuda a perder peso porque usa o tipo especial de gordura que a mãe adquiriu durante a gravidez. Mulheres que amamentam precisam de um peso extra de 2,2 a 4,5 kg para manter seu corpo saudável enquanto nutrem seu filho. Perder peso rápido demais pode diminuir a produção de leite, principalmente se o bebê tiver um crescimento rápido e necessitar se alimentar mais.

Publicidade
Publicidade

As mamães podem ficar tranquilas porque, normalmente, os quilinhos a mais sumirão ao longo dos primeiros seis meses.

2 - O leite materno aparece alguns dias depois do nascimento. No início surge o colostro, uma substância espessa e amarelada, cheia de proteínas e anticorpos, que ajudarão o bebê a combater doenças. O colostro é o primeiro alimento do bebê e ajuda a "imunizar" contra as doenças. A criança nasce com uma reserva de água e gordura, armazenada para usar enquanto ele ingere o colostro, e uma colher de chá de líquido nessa idade já é o suficiente. No primeiro ou segundo dia de vida, o recém-nascido poderá mamar de hora em hora para estimular a produção do leite que deve se adaptar às necessidades do bebê. Em apenas dois a quatro dias, o corpo já se adapta e o bebê mamará de 8 a 12 vezes por dia.

Publicidade

O leite materno normal é um líquido fino branco-azulado. Não é preciso oferecer mais nada à criança durante os seus seis primeiros meses de vida, nem mesmo água. Outra dica indispensável é que quando o bebê está bem e ganhando peso normalmente, não há a necessidade de acordá-lo para mamar.

3 - A alimentação da mãe tem que ser saudável, dando especial atenção aos líquidos. É normal sentir muita sede nessa fase porque a água é matéria-prima para a fabricação do leite. Faça pelo menos seis refeições balanceadas ao longo do dia, beba leite, água e sucos, coma frutas e fibras, e não abuse dos doces. Evite tomar muito café, no máximo 2 xícaras por dia. O álcool deve ser evitado. Durma quando o bebê dormir e procure relaxar.

4 - Não tem uma lista de alimentos proibidos para a nutriz. Apenas se houver alguma reação negativa em casos de aleitamento materno exclusivo, pode-se suspeitar de sensibilidade ou alergia alimentar a alguma substância que a mulher tenha ingerido. Os alimentos que mais causam alergia são: leite de vaca, chocolate, castanhas (como o amendoim), frutos do mar e carne de porco.

Publicidade

Antes de eliminar os itens do cardápio, consulte o médico para que ele verifique a possível ligação entre o alimento e as cólicas do bebê.

5 - Cortar calorias é perigoso e dietas rigorosas na fase de #Amamentação podem implicar em perda de massa magra, ou seja, músculos e energia. Na fase de amamentação as mulheres precisam de 20% a mais de calorias do que as necessárias em outra fase da vida. Isso significa o total médio de 2,4 mil calorias diárias. Para emagrecer, tenha uma dieta saudável aliada a exercícios físicos. 40 dias depois do nascimento do bebê, você pode começar a caminhar cerca de uma hora e meia por dia. Depois de três meses, a mãe já está liberada para fazer esportes normalmente. Se for atleta, pode voltar aos treinos. O gasto calórico durante essa fase é bem alto, daí a necessidade de se alimentar corretamente.

6 - Para saber se o bebê está mamando o suficiente, preste atenção se ele está fazendo uma barulho de engolir enquanto mama. Observe se o bebê dorme bem após a mamada. O bebê bem alimentado produz cerca de seis fraldas molhadas todos os dias, e entre dois e cinco fezes amareladas e soltas por dia, até mais ou menos seis semanas de idade. Alguns bebês são processadores de leite materno tão eficientes que defecam muito raramente. Outra dica é ver a cor da urina dele: se estiver amarela-alaranjada, está tudo bem. Quando o bebê mama bem, seus seios ficam vazios e macios após cada mamada. #mamãe e bebê