Quem é fã de paçoca deve evitar, por enquanto, uma marca suspeita de conter substâncias cancerígenas acima do limite permitido. A empresa Dicel foi interditada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (#Anvisa), nessa segunda-feira (20), após um lote do alimento apresentar um limite máximo de teor de aflatoxinas, substância produzidas por fungos.

De acordo com a agência, as substâncias encontradas são consideradas tóxicas e carcinogênicas. Por isso, "produtos fora da especificação não podem ser consumidos pela população", alerta a agência.

O produto Doce de Amendoim Paçoca Rolha", distribuído em parceria pela Indústria e Logistica Wethonklauss Constante Ltda, do lote número 0027, foi vetado para comercialização em todo País.

Publicidade
Publicidade

Os itens têm data de fabricação 18 de novembro de 2016 e data de validade 18 de novembro de 2017.

Um laboratório de análise de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, detectou teores da substância acima do limite tolerado para produtos com amendoim, segundo informou a Anvisa. A entidade ainda informou que o material é fabricado na cidade de Goiânia, em Goiás, mas está interdição é válida para todos os estados brasileiros.

Até a noite dessa segunda-feira, a empresa ainda não havia se manifestado para dar um posicionamento sobre as investigações.

Anvisa suspende propaganda que promete prevenir tipos de câncer

Diferente da Dicel, que há produtos com teor #cancerígeno nos alimentos, outra empresa promete curar vários tipos de câncer. A Anvisa publicou, nessa segunda-feira, no Diário Oficial da União, a suspensão de todos os produtos vendidos pela Kaiser Intermediação de Negócios – Eireli.

Publicidade

De acordo com informações da a entidade, a empresa divulga propagandas não autorizadas de produtos alimentícios com a atribuição de propriedades terapêuticas.

A marca, segundo a Anvisa, apresenta várias propagandas prometendo prevenir vários tipos de câncer, prevenção das doenças do coração, entre outros. Portanto, internauta, fique atento para as orientações da Anvisa para não consumir produto falsificado.