Um estudo divulgado recentemente pelo Astrophysical Journal Letter concluiu que misteriosos sinais de rádio, captados por radiotelescópios terrestres de alta potência, podem ter origem na energia utilizada por naves alienígenas.

O foco do estudo foi a possibilidade desses sinais de rádio terem sido causados, não por elementos naturais, como por exemplo quasares e pulsares, e sim por mecanismos extraterrestres. Esses sinais são conhecidos pela sigla FRBs, no idioma inglês - algo como Rajadas Rápidas de Rádio, em português. Estes sinais tem duração de menos de cinco milissegundos, e só podem ser captadas por radiotelescópios gigantes e ultra-potentes.

Publicidade
Publicidade

Cientistas da Universidade de Harvard especulam que uma nave alienígena poderia estar ''se abastecendo'' da luz de alguma estrela, gerando esse tipo de ondas de rádio.

A primeira vez que este tipo de sinal foi percebida foi no ano de 2007, pelo telescópio australiano Parkes. A partir daí, outros dezessete sinais semelhantes foram listados por astrofísicos, que ainda não sabem explicar da onde vieram essas ondas. As hipóteses consideram que estas podem ser resultado da morte de uma estrela, ou do choque e junção de buracos negros, uma vez que não são constantes.

Alguns cientistas, porém, como o físico Avi Loeb do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, creem que a origem das FRBs pode não estar no comportamento natural de quaisquer astros, uma vez que não há evidências de que estas ondas são, de fato, geradas pelos fenômenos descritos, tornando cada vez mais plausível a hipótese de que sejam geradas por fontes artificias extraterrestres.

Publicidade

Numa tentativa de determinar se as FRBs poderiam ser geradas por equipamentos tecnológicos, Avi Loeb se uniu ao engenheiro Manasvi Lingam, também de Harvard, para realizar uma série de cálculos físicos e de construção; ambos concluíram que um transmissor do tamanho de um planeta seria capaz de fornecer energia para sondas interestelares, e que os sinais desse abastecimento poderiam estar sendo interceptados pela Terra, gerando os sinais de rádio em questão.

Avi Loeb, porém, ressalta que este trabalho é meramente especulativo e que a possibilidade da existência de vida alienígena ''se trata de uma evidência e não de uma crença.''

''É melhor desenvolver ideias e deixar que os dados decidam.'', disse o físico. #2017 #Ciência #Astronomia