Após 30 anos de pesquisas, o neurocirurgião italiano Sergio Canavero afirma estar pronto para o procedimento que promete ser uma revolução na medicina mundial, o primeiro transplante de cabeça entre humanos da história. A cirurgia está marcada para acontecer em dezembro de deste ano. A data é apenas uma previsão e depende alguns cálculos científicos e planejamentos que estão sendo finalizados, podendo ser adiada, se houver alguma dúvida ou empecilho.

O voluntário para a arriscada cirurgia é o russo Valery Spirinodov, de 30 anos, que sofre de uma doença genética rara e degenerativa, conhecida como Síndrome de Werdnig-Hoffman.

Publicidade
Publicidade

Trata-se de uma doença neuromuscular hereditária, que atrofia e enfraquece os músculos progressivamente. Valery, que é programador e artista gráfico, afirma estar com medo sim, mas que não tem escolha. Isso porque, ou ele faz a cirurgia, ou seu destino será muito triste, pois, a cada ano, seu estado de saúde tende a se agravar.

O procedimento

Para a realização do transplante o doutor Canavero irá separar a cabeça do corpo de Valery Spirinodov, mantendo-a resfriada sob temperatura de 15 graus negativos. Depois, ele a recolocará no corpo do doador, que também será congelado, para que as células permaneçam vivas, mesmo sem oxigênio.

O corpo e a cabeça terão suas artérias e vasos interligados, através de pequenos tubos, e maquinas manterão o fluxo de sangue para que a medula espinhal do paciente possa ser rompida e conectada ao novo corpo.

Publicidade

Essa junção acontecerá com a ajuda de injeções de polietilenoglicol, que funciona como uma cola humana.

Caso o polietilenoglicol não funcione, Canavero tem uma segunda alternativa, que é introduzir na medula espinhal células-tronco ou uma classe de células olfativas auto-regenerativas, que conectam a mucosa nasal ao cérebro. Uma terceira opção seria a utilização de membranas estomacais para ajudar na fusão. Ambos os casos já apresentaram ótimos resultados em diversos experimentos.

A cirurgia terá uma duração de 36 horas, contará com a participação de 150 profissionais, de diversas áreas da medicina, e possui custo estimado de US$ 11 milhões. Segundo o neurocirurgião responsável, o transplante será realizado na China, embora o país ainda não tenha se pronunciado sobre a autorização para o procedimento.

Críticas

A comunidade médica, no entanto, não vê com bons olhos a façanha do doutor Canavero. Alguns especialistas questionam o procedimento por questões éticas e técnicas. Eles alegam que já foram feitas experiências semelhantes, em macacos e ratos, e os resultados foram muito aquém do esperado, para se arriscar um procedimento desse em humanos. #transplante de cabeça #primeiro transplante de cabeça