Para saber mais sobre a profissão de #doula, entrevistamos a doula e educadora perinatal, co-fundadora da Bem - Gestar, Nascer e Cuidar, Fernanda Neuwald, 33 anos, que trabalha nessa área há dois anos.

Quando os partos ainda eram feitos de forma rudimentar e dentro das casas, as mulheres da família ou que conviviam com a grávida cuidavam dela. Conversavam, trocavam experiências, dicas para aliviar os desconfortos da gestação, parto e pós-parto. Com o parto se tornando um procedimento predominantemente feito por médicos, sendo transferido do ambiente familiar para o hospital, essa lacuna ficou vazia. E a doula veio para preencher esse espaço, dando apoio físico e emocional para a mulher durante todo o ciclo gravídico-puerperal.

Publicidade
Publicidade

Auxiliando e encorajando, a doula é uma mão amiga, um abraço acolhedor, uma palavra de força e encorajamento.

O que faz uma doula?

Na #gestação, a doula:

  • Ajuda na preparação física e emocional da grávida;
  • Ajuda na elaboração do plano de parto (documento em que a mulher expressa suas vontades para o parto);
  • Fornece informações baseadas em evidências médicas;
  • Explica os procedimentos que podem ser realizados durante o parto;
  • Pode auxiliar na escolha da equipe que assistirá ao parto.

No parto, a doula:

  • Ajuda com métodos não farmacológicos para alívio da dor;
  • Orienta posições que possam aliviar a dor e também favorecer o parto;
  • Encoraja a mulher;
  • Ajuda na respiração;
  • Faz massagens;
  • Cuida do bem-estar da mulher de forma integral;
  • Traduz muitas vezes a linguagem técnica da equipe para a mulher;
  • Ajuda a promover um ambiente aconchegante para que a mulher se sinta mais segura e confortável para o trabalho de parto e parto.

No pós-parto, a doula:

  • Pode ajudar na amamentação, orientando a mulher nesse processo ou indicando profissionais que possam auxiliar de forma mais específica, caso seja necessário;
  • Dá apoio emocional para a mulher;
  • Ajuda com dicas e informações sobre os cuidados com o recém-nascido.

Relato da experiência como doula

"Ser doula é algo fascinante. É incrível perceber a força que carregamos dentro de nós. Cada nascimento é uma emoção indescritível, é a vida acontecendo ali, diante dos meus olhos. Já acompanhei partos de amigas, de mulheres que me procuraram durante a gestação e outras que conheci, ali durante o parto. Uma história que me marcou e emociona muito até hoje foi um dos primeiros partos que fui acompanhar, era uma indução de parto de uma amiga. Enquanto aguardava ela entrar em trabalho de parto, comecei a cuidar de uma outra mulher que estava ali. Era o primeiro filho e no hospital não permitiam acompanhantes. Ela estava sozinha, com dor e assustada. Comecei a fazer massagens, a conversar para acalmá-la, e ajudá-la a procurar posições que favorecessem a ela e ao parto. Fiquei com ela durante todo o tempo. Depois que o bebê nasceu, ela pediu que a enfermeira me chamasse pois ela queria falar comigo, nunca me esqueço suas palavras: 'Obrigada filha, você foi um anjo que Deus mandou pra mim. Que Deus te abençoe e abençoe sua família', aquelas palavras me tocaram tão fundo. Foi o melhor pagamento que já recebi por um trabalho", conta Fernanda.

Publicidade

#pós parto