Fazer amor regularmente é algo extremamente satisfatório para nós seres humanos, o ato promove uma grande sensação de bem-estar, maior confiança e, claro, melhora a nossa autoestima. Por isso, não restam dúvidas do impacto positivo que o ato promove em nossa vida. Contudo, precisamos saber o real motivo pelo qual o ato íntimo frequente acarreta mais felicidade para a nossa vida. E foi isso que a Universidade de Toronto, no Canadá, se esforçou para finalmente comprovar se é verdadeiro.

Publicidade

O estudo foi divulgado pelo Personality and Social Psychology Bulletin, e revelou que fazer amor pelo menos uma vez por semana faz com que as pessoas se sintam mais felizes, diferente daquelas que praticam o ato apenas uma vez por mês.

Publicidade

Além disso, fazer amor seria equivalente a receber um extra de aproximadamente US$ 50 mil anual, revela o líder da pesquisa, Christian Jarrett. O estudioso revela que a prática ocasiona vários benefícios a nossa saúde, além de afetar positivamente o nosso psicológico.

O estudo também revelou que a alegria que sentimos fazendo amor regularmente não é apenas um sentimento rápido e que, além de positivo por oferecer efeitos fisiológicos, o ato também promove uma ligação muito forte com a pessoa que você está se relacionando amorosamente e intimamente.

Para que os estudiosos finalmente chegassem a essa conclusão, aproximadamente 500 voluntários revelaram qual era a sua rotina sexual, a satisfação adquirida em sua vida amorosa e o bem-estar geral que sentia antes e depois do ato.

Foi comprovado que os casais que praticavam o ato em um período menor de dez dias, apresentavam um maior contentamento em seus relacionamentos.

Publicidade

Em uma segunda fase, os estudiosos observaram atentamente que os casais que faziam amor com mais frequência apresentavam também maiores probabilidades de terem orgasmos mais frequentes e um nível de afeto maior na relação amorosa.

Fazer amor semanalmente oferece extrema felicidade?

Para saciar a dúvida de muitos casais, os pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, localizada nos Estados Unidos, investigou se era realmente possível saber qual o número médio de relações íntimas que ocasionaria maior felicidade e satisfação aos casais.

O resultado foi simplesmente surpreendente, pois depois de estudar a rotina de vários casais, os estudiosos concluíram que a quantidade exata de relações íntimas que um casal tem por semana ou mês é exatamente quantas vezes eles sentirem desejo e tiver vontade – nada mais que isso. Completando que, ao contrário do que muita gente pensa, a quantidade de relações íntimas nem sempre estará conectada com a verdadeira felicidade amorosa. #sexo #Curiosidades #Comportamento