Você fica assustado ao ouvir falar do ''fim do mundo''? Tem alguma teoria de como seria este evento catastrófico, já tantas vezes explorado em histórias populares, na televisão e no cinema?

Pois fique sabendo que é possível que o tempo (as horas, minutos e segundos) acabem antes da Terra.

Um grupo de físicos da Universidade de Berkeley propõe que existe cerca de 50% de chance de que o tempo acabe nos próximos 3,7 bilhões de anos. Mas, o que isso quer dizer?

A teoria mais difundida na comunidade científica hoje em dia, propõe que, desde a explosão do Big Bang, o Universo estaria se expandindo. Durante esses 13 milhões de anos, a expansão do #Universo jamais teria cessado e estaria se acelerando.

Publicidade
Publicidade

Pensando desta forma, poderíamos concluir que o Universo poderia se expandir para sempre e infinitamente, certo?

Errado. Para os físicos da Universidade de Berkeley, a teoria de um Universo infinito não é totalmente plausível. Isso porque segundo o físico Raphael Bousso, as leis da física não poderiam ser aplicadas nele; se o Universo é infinito e poderá durar para sempre, todo os tipos de eventos poderão ocorrer nele, não apenas uma, mas infinitas vezes.

O ''Infinito'' não pode ser calculado e por isso, as leis da física não se aplicam. Segundo Bousso, este é chamado um ''problema de medida de inflação eterna'', e a única maneira de ''resolver'' essa questão, seria uma catástrofe que desse término a esse Universo.

Agora, se sente reto na cadeira e preste atenção, porque essa parte vai dar um nó no seu cérebro!

Você não precisa temer o fim do mundo.

Publicidade

Bousso estima que é improvável que nós estejamos presentes nesse acontecimento pois, de volta ao raciocínio do início deste texto, há uma chance de 50% de que este evento ocorra somente nos próximos 3,7 bilhões de anos, quando nenhum de nós estará aqui para vê-lo. Porém, se tudo correr como estipula a #Ciência, a Terra e o Sol ainda estariam presentes no Universo à altura deste acontecimento, fazendo com que o o próprio tempo se extinguisse antes do nosso planeta.

Acha a ideia perturbadora? Bem, não há como termos certeza sobre ela. As leis da física como as conhecemos hoje não poderiam, de forma alguma, ser consideradas absolutamente corretas ou universais, uma vez que este ainda é um campo de estudo em constante expansão e desenvolvimento, fazendo com que esta teoria recaia mais sobre a filosofia do que sobre a física em si.

Bem, de qualquer forma, não há razão para nos preocuparmos com isso. Pelo menos, não nos próximos 3,7 bilhões de anos. #2017