O estudo foi feito na Inglaterra e afirma que boa parte dos médicos até então ignoravam os #Sintomas de #pré-infarto. O estudo usou como base todas as mortes por #ataque cardíaco entre 2006 e 2010 em hospitais públicos do país. Pesquisadores do Imperial College de Londres chegaram à conclusão de que 16% das pessoas que morreram da causa foram internadas nos 28 dias anteriores ao ataque cardíaco fatal. A maioria alegava dor no peito e falta de ar.

Diante dos resultados, os pesquisadores pedem muita atenção aos sintomas.

O caso de uma enfermeira:

Alison Fillingham, 49, sentiu uma dor aguda em seu pescoço e clavícula. Ela, enfermeira, cuidava de um de seus pacientes em casa, quando a dor ficou tão forte que ligou para se aconselhar com um colega.

Publicidade
Publicidade

Ela foi inicialmente diagnosticada tendo um ataque de pânico, mas depois, com mais exames, se confirmou o ataque cardíaco. Ela afirma que mesmo sendo da área, não conseguiu diagnosticar. Ela passou por um cateterismo e já se sente muito melhor.

Dos mais de 100 mil casos estudados, sintomas como desmaio, falta de ar e dor no peito ficaram evidentes em boa parte dos pacientes que morreram. Os sintomas foram percebidos entre 28 e 30 dias antes da morte.

Entretanto, não havia dano ao coração, por isso os sintomas não foram associados a possibilidade do infarto.

A pesquisa deve mudar as orientações das equipes médicas, de enfermagem e na cultura das clínicas e hospitais. Jeremy Pearson, diretor médico do Instituto Britânico do Coração, garante que os números são importantes.

Pré-sintomas de um ataque cardíaco

Então fique atento aos sintomas abaixo e compartilhe o artigo para a maior quantidade de pessoas possível.

Publicidade

Informação é fundamental para auxiliar na prevenção.

  • Dor no peito- pressão ou aperto dentro da caixa torácica
  • Dor que se "espalha" do peito para os braços (normalmente o membro esquerdo é um pouco mais afetado), para a mandíbula, pescoço, costas e barriga
  • Tontura e ameaças de desmaio
  • Sudorese (transpiração injustificada)
  • Falta de ar
  • Náuseas e vômitos sem razão aparente
  • Uma ansiedade além do normal (que pode ser confundida com a síndrome do pânico)
  • Tosse ou chiado no peito e vias superiores.

Cabe ressaltar que a dor no peito, um grande indicador do pré-infarto, pode vir de forma menos intensa dentro dos 30 dias anteriores. Pode vir semelhante a uma indigestão. Os médicos são unânimes em afirmar que a prevenção é a melhor forma de evitar. Alimentação, indicadores fisiológicos e exercícios físicos são fundamentais como prevenção. Entretanto, conhecer os pré-sintomas também é de fundamental importância para as tratativas de urgência de um pré-infartado.