O neurocirurgião italiano Dr. Sergio Carnero anunciou, no fim de 2015, seus planos de realizar a primeira #Cirurgia de transplante de cabeça do mundo, a qual deve acontecer em dezembro de 2017, na China. O voluntário a passar pelo procedimento é Valery Spiridonov, gerente de desenvolvimento de softwares russo de 32 anos que sofre de uma rara doença degenerativa, que causa a atrofia muscular espinhal.

Carnero vem planejando a cirurgia por pelo menos 30 anos e, graças às novas tecnologias, o diretor do Grupo Avançado de Neuromodulação de Turin, na Itália, propôs, em dois artigos recentemente publicados, que o procedimento é possível.

Publicidade
Publicidade

Para a realização do #Transplante, a cabeça de Spiridonov será retirada após coma induzido e mantida na temperatura de -15ºC até que possa ser reconectada ao corpo de uma pessoa que tenha sofrido morte cerebral. A cirurgia está prevista para durar 36 horas e Carnero irá contar com uma equipe de 150 médicos.

Os nervos da cabeça serão "colados" no corpo com uma substância chamada polietilenoglicol. Feito o transplante, o paciente permanecerá em coma induzido por pelo menos três ou quatro semanas, enquanto os médicos estimulam seus nervos espinhais para que se reconectem ao corpo e passem a funcionar.

A ideia de que Spiridonov possa ter um novo corpo, totalmente funcional, parece vinda de uma história de ficção científica, mas, de acordo com um dos colaboradores de Carnero, Dr. Xiaoping, da Universidade Médica de Harbin, na China, esse procedimento foi realizado com sucesso em dois macacos, em janeiro de 2016.

Publicidade

Dr. Xiaoping afirmou ter transplantado a cabeça de um macaco no corpo de outro, mas, por "razões éticas", o animal teve de ser submetido à eutanásia 20 horas após a cirurgia.

Segundo Carnero, a equipe chinesa envolvida no processo já está praticando em cadáveres, a fim de aperfeiçoar a tecnologia. A cirurgia deve custar em torno de 11 milhões de euros.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, Spiridonov afirmou estar com medo e entender perfeitamente os múltiplos riscos da cirurgia. Ele diz que sua condição tem piorado gradativamente e que essa seria sua chance de ter um novo corpo antes que a doença o mate. Spiridonov está entre os poucos que sofrem dessa forma de atrofia muscular espinhal a sobreviver até a idade adulta. #Medicina