Existem mulheres que não conseguem gerar uma criança por problemas funcionais no útero, mas não abrem mão de um dia ser possível esse propósito. Pensando em satisfazer o sonho dessas mulheres, estudiosos da Cleveland clínica, nos Estados Unidos, estão com um projeto de, nos próximos meses, realizarem o primeiro transplante de útero do mundo.

A idéia do útero transplantado baseia-se em que o mesmo permaneça por um período de tempo determinado, pois, devido ao uso obrigatório e regular da medicação, os pesquisadores temem que o órgão seja rejeitado pelo organismo.

Os úteros usados para transplante serão retirados de mulheres falecidas.

Publicidade
Publicidade

O estudo reconhece que a gestação, advinda deste projeto, será de alto risco tanto para mulher, como para o feto.

Cientes de todos os riscos, oito mulheres americanas aguardam a realização do transplante. Entre elas, há uma jovem de 26 anos, mãe de duas crianças adotadas, que deseja ardentemente experimentar a sensação de uma gestação. “Eu quero o enjôo matinal, as dores nas costas, os pés, mãos e rosto inchados. Eu quero ter o gosto de sentir o bebê se mexer. Eu desejo isso acho que desde que nasci”, relata a jovem.

Os estudos ainda desconhecem a relação da droga no organismo, mas os médicos reconhecem que há um grande risco de pré – eclampsia (alteração na pressão arterial da gestante) e do bebê nascer com problemas neurológicos ou com estatura menor que os demais.

Considerando as propabildades, pergunta-se: é possível um #Homem engravidar através deste processo? Segundo Rebecca Flyckt, ginecologista-obstetra e especialista em endocrinologia reprodutiva, a resposta é SIM.

Publicidade

Rebecca Flyckt explica que para essa gravidez ser possível, seria necessário ocorrer um processo cirúrgico e endócrino, para a criação de uma vagina e uma reconstrução cirúrgica de toda a pélvis, obviamente, realizado por um especialista em cirurgia transgênica, daí então, implantaria o útero doado. Após este procedimento, seria necessário o uso de hormônios específicos para ser possível o homem tolerar a gestação.

Quando o procedimento é realizado na mulher, a mesma somente depende da doação do esperma, uma vez que possui os seus próprios óvulos. Nos homens, como são donos do próprio esperma, para os embriões serem criados, necessitaria dos óvulos de uma doadora para iniciação do processo.

A Doutora Flyckt, antecipando a curiosidade da comunidade transexual do mundo inteiro e a polêmica na opinião pública devido a questões religiosas, explicou que, até o momento, o protocolo da organização mundial de saúde se aplica apenas a mulheres com úteros inférteis. #Transplante de útero #Curiosidades