Alguns médicos contestam a Vitamina D. Realmente, existem algumas grandes diferenças entre a D e todas as outras vitaminas. Entenda a polêmica, lendo o artigo.

A vitamina D não é encontrada nos alimentos. Sua maior fonte é nosso astro rei, o Sol. A luz solar, o raio ultravioleta B (UVB) que vem do Sol, o mesmo que desencadeia o câncer de pele, é o responsável por uma série de reações químicas que produzem vitamina D.

ara os médicos da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o único benefício reconhecidamente ligado à vitamina D é sua relação com a #Saúde óssea. Eles não recomendam a exposição aos raios solares, preferem que em caso de carência dessa vitamina, os pacientes usem suplementos, em função dos riscos provocados pelo excesso do sol.

Publicidade
Publicidade

Após mais de 400 estudos realizada na França, os pesquisadores concluíram que tomar suplementos da vitamina D não teve resultados positivos na diminuição do risco de doença cardiovascular, câncer e nem fraturas. Para os autores da pesquisa, a deficiência dessa vitamina é em consequência das doenças e não sua causa.

Outro ponto importante é que o corpo não se intoxica com a vitamina D gerada pela luz do Sol, mas pode se intoxicar com a vitamina D proveniente da suplementação. Já os defensores da vitamina dizem que nos estudos as doses foram baixas, cerca de 2 mil UI por dia, e que para obter resultados precisariam usar pelo menos 4.500 UI.

Mesmo não sendo aceito pela Academia Brasileira de Neurologia, o protocolo da vitamina D para doenças autoimunes desenvolvido por Cícero Coimbra se mantém popular entre os pacientes.

Publicidade

Desde 2002, já tratou cerca de 2,5 mil pessoas com esclerose múltipla, pacientes com lúpus, artrite reumatoide, psoríase, vitiligo e várias outras doenças.

Hoje mais de 20 profissionais espalhados pelo Brasil e outros no exterior , entre eles Argentina, Peru, Itália, e Portugal, seguem o protocolo da vitamina D com bons resultados.

Apesar de tantas evidências, a vitamina D ainda é alvo de muita polêmica. A maior parte das sociedades médicas do mundo e dos órgãos responsáveis por definir as diretrizes para os profissionais de saúde continua recomendando cuidado com o sol.

Como o Sol age e vira vitamina D

Infelizmente, um estudo comprovou que cerca de 80% das pessoas que vivem na cidade sofrem com a carência de vitamina D. Para evitar a carência da substância, é bem simples. Basta tomar de 15 a 20 minutos de sol ao dia, de preferência as 10 horas da manhã.

Braços e pernas devem estar expostos, pois a quantidade de vitamina D que será absorvida é proporcionalmente a quantidade de pele exposta.

Publicidade

Veja como os raios ultravioletas se transformam em vitamina D:

1 - Os raios ultravioleta B penetram na pele, e reagem com uma substância denominada 7-Dehidrocolesterol, que se transforma na vitamina D3.

2 – Quando a vitamina cai na corrente sanguínea e chega no fígado, se transforma em calcifediol.

3 - O calcifediol vai para os rins, onde é convertido em calcitriol. Nesse estágio, já na forma ativa, a vitamina D é distribuída pelo corpo por meio do sangue. #pesquisas #Vitamina D