Ron Baalke, astrônomo que trabalha no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, afirmou em seu Twitter, na noite do último dia 22, que existem pelo menos cinco asteroides cuja rota passa raspando em nosso planeta.

E quando ele diz ''raspando'', se refere à uma medida de um quinto da distância entre a Terra e a Lua - uma distância considerada realmente muito pequena em termos espaciais.

O primeiro deles, batizado de 2017 BS5, se aproxima da Terra no dia 23 de julho. Este asteroide tem diâmetro de cerca de 40 a 90 metros e passará bem perto do nosso planeta - 1.211.734 quilômetros.

E este ainda nem é o asteroide digno de maior preocupação na lista de Baalke: o 2012 TC4 tem entre 12 e 27 metros de diâmetro - bem menor do que o anterior - porém passará apenas a 57.659 quilômetros da superfície terrestre, no dia 12 de outubro de 2017.

Publicidade
Publicidade

Parece muito, certo? Mas em dimensões espaciais, 57.659 quilômetros não é nada! A Terra e a Lua tem entre si apenas 384.400 quilômetros.

Três outros asteroides passam pela Terra no final de 2017 e começo de 2018 - um em 3 de dezembro de 2017, outro em 24 de fevereiro de 2018 e o último, em 2 de abril de 2018.

Mas o que aconteceria se a Terra fosse atingida por um asteroide?

Entre as principais catástrofes que poderiam ocorrer se um asteroide colidisse com a Terra estão:

  • abalos sísmicos devastadores - capazes de resultar em cerca de cerca de 1,1 bilhão de mortes;
  • a formação crateras gigantes e fatais no local do impacto;
  • milhares de mortes por transporte de resíduos como vidro através do ar;
  • violentas tsunamis que devastariam as áreas litorâneas do nosso planeta;
  • liberação de radiação térmica - causando graves queimaduras em vegetais, animais e seres humanos e, há longo prazo, aumentando o risco do desenvolvimento de câncer;
  • mortes por choque de sobrepressão (em resumo, nós explodiríamos com a força do impacto);
  • rajadas de vento capazes de carregar pessoas e estruturas por muitos quilômetros.

Estamos preparados?

Segundo documento oficial publicado pelo Conselho Nacional de #Ciência e Tecnologia dos Estados Unidos, a raça humana está completamente despreparada para lidar com os asteroides, muito embora cientistas no mundo todo venham tentando encontrar meios de evitar esse tipo de catástrofe já há vários anos.

Publicidade

Uma das principais vantagens que os asteroides levam sobre nós é que eles podem chegar a qualquer momento, como ocorreu em 2013 na cidade de Chelyabinsk, na Rússia, quando um asteroide de 17 metros de diâmetro caiu inesperadamente, atingindo cerca de 1000 habitantes.

Por essa razão, a NASA trabalha duro para melhorar seus métodos de detecção de ameaças em potencial, além de estudar maneiras de proteger a humanidade em caso de uma colisão de asteroide. #Curiosidades #Astronomia