Um momento que algumas mulheres acham constrangedor é o da ida ao ginecologista. Não é de espantar devido ao caráter íntimo dos assuntos tratados e de boa parte dos exames que podem ser necessários.

É preciso, porém, que a #Mulher lembre-se de que o #ginecologista é um profissional médico, cujo comportamento deve ser regido por um código de ética e por leis, que, entre outras coisas, cuidam do sigilo médico-paciente.

Tendo em vista a delicadeza das questões envolvidas, o ideal é que a mulher procure um ginecologista (ou uma ginecologista, claro) em quem sinta confiança e com quem ela se confortável para expor suas dúvidas, falar de seus problemas e ser examinada.

Publicidade
Publicidade

Assim como é verdade que as mulheres sentem aversão a certos aspectos da visita ao ginecologista, há alguns comportamentos das pacientes - infelizmente, comuns - que se manifestam nas consultas e eles detestam. Confira>

1 - Esconder sintomas por vergonha

O ginecologista, como médico que é, precisa que o paciente (no caso, a paciente) seja honesta sobre seus sintomas, histórico de saúde, hábitos e outras informações. Porque, junto com os exames (muitas vezes, solicitados justamente por causa deste ou daquele sintoma), esses dados são o que ele usa para diagnosticar problemas de saúde (alguns dos quais podem ser graves e precisam ser tratados o mais cedo possível) e prescrever remédios e tratamentos. Enfim, tratar o paciente e orientá-lo.

Sonegar informações, por vergonha ou por qualquer outra razão, é colocar um obstáculo desnecessário nesse percurso.

Publicidade

Além disso, ginecologistas tratam de casos de natureza íntima, é o trabalho deles - e, como médicos, querem ajudar os pacientes.

2 - Ficar postergando exames necessários

Talvez seja o temor do constrangimento que algumas mulheres sentem quando se submetem a alguns exames. Talvez seja preguiça, esquecimento ou falta de tempo (nesse caso, é necessário reorganizar a agenda e colocar prioridades - como a saúde - no lugar que lhes cabe).

A verdade é que nenhum médico aceitará desculpa alguma suficiente, Afinal, eles sabem que se trata de algo importante para proteger algo valioso: a saúde.

3 - Ficar se desculpando pela falta de depilação nas partes íntimas ou nas pernas

A última coisa na cabeça de um médico examinando uma paciente é se ela se depilou ou não. Eles examinam montes de pacientes e têm um objetivo específico: descobrir como está a saúde da pessoa que estão examinando.

4 - Automedicar-se

Vale na Ginecologia o que vale no resto da Medicina: automedicar-se porque suspeita estar como uma doença, em vez de procurar um médico para diagnosticar a situação, é má ideia, e os médicos certamente desaprovam.

Publicidade

5 - Duvidar do diagnóstico por causa do que viu na internet

A moderna revolução tecnológica fez muito para permitir a rápida e ampla disseminação de informações. Infelizmente, às vezes, as pessoas usam mal esse potencial. Isso acontece, por exemplo, quando o paciente desafia o diagnóstico do médico porque viu alguma coisa na internet.

Há limites bem restritos para o quanto se deve confiar no chamado Dr. Google. Não há nada e errado em querer entender o diagnóstico do médico, como ele se relaciona com os sintomas e com os exames feitos - afinal, trata-se da saúde do paciente - , mas ficar teimando com o médico por conta do que viu na internet é um pouco demais. #SaudeFeminina