A pílula do dia seguinte é um recurso de que as mulheres podem lançar mão caso queiram evitar uma #Gravidez e, por exemplo, tenham esquecido de tomar a pílula comum ou de usar um preservativo, ou no caso deste ter se rompido durante o ato sexual. Apesar de ser um produto relativamente comum, há diversos fatos sobre ela que boa parte das mulheres ainda não conhece. Entre as informações dignas de nota sobre o produto, merecem destaque as seguintes:

1 - Como funciona

Ela contém os hormônios que estão presentes na pílula anticoncepcional convencional, mas em concentrações muito superiores. Como a pílula comum, a #pílula do dia seguinte impede a ovulação, tornando a concepção impossível.

Publicidade
Publicidade

Caso a mulher já tenha ovulado, a pílula do dia seguinte descama o endométrio, a mucosa que recobre o útero, impedindo que o embrião se fixe no local.

2 - Até quanto tempo depois do ato sexual ela pode ser usada

Embora seja chamado de "pílula do dia seguinte", o medicamento pode ser usado um pouco mais tarde do que isso e ainda ter efeito. Apesar disso, é preciso ressaltar que, quanto mais cedo tomada, maior sua eficácia. Nas primeiras doze horas depois do ato sexual, ela funciona em mais de 95% dos casos. Essa eficácia baixa para menos de 55% depois das primeiras vinte e quatro horas. Depois de setenta e duas horas, a eficácia da pílula do produto é muito baixa. No caso da pílula ministrada em duas doses, a segunda tomada doze horas depois da primeira, os intervalos mencionados acima se referem ao tempo entre o ato sexual e o consumo da primeira dose.

Publicidade

3 - O consumo da pílula não deve ser frequente

Embora estime-se que quase um terço de todas as mulheres em idade fértil do Brasil usem frequentemente o produto e não seja necessário receita médica para comprá-lo, os médicos avisam que a pílula do dia seguinte é para emergências e, quanto menos for usada, melhor. Em primeiro lugar, o uso frequente do produto diminui sua eficácia, o que pode levar a uma gravidez indesejada. Em segundo lugar, o uso frequente aumenta as chances de formação de coágulos nas veias, o que pode ser fatal, e de irregularidades no ciclo menstrual.

4 - A mulher não deve tomar a pílula do dia seguinte se estiver no processo de amamentação

Devido à presença do hormônio estradiol, que não deve estar presente no leite consumido pela criança, a mulher não deve usar o produto se estiver amamentando.

5 - O que fazer se vomitar

Se a mulher vomitar depois do uso da pílula do dia seguinte, especialmente se isso acontecer nas primeiras horas depois do consumo do produto, é melhor repetir a dose por via das dúvidas.

Publicidade

6 - Contraindicações da pílula do dia seguinte

Mulheres que tenham tendência ao desenvolvimento de trombos (coágulos) nas veias, que sofram de insuficiência renal ou que tenham doença hepática não devem usar o produto. Além disso, embora não seja verdade que antibióticos cortem o efeito da pílula, como as duas classes de produtos são metabolizados pelo fígado, o uso concomitante deles pode causar alterações hepáticas grandes, náuseas e vômito.