Os aplicativos estão revolucionando o entretenimento, os transportes, as comunicações e outras áreas da vida humana. Seria ingênuo esperar que deixassem de fora de sua esfera de influência a contracepção. A verdade é que a pílula, apesar de ter ajudado a desvincular sexo de reprodução, favorecendo assim a revolução sexual dos anos 1960, tem seus pontos negativos.

Por exemplo, estudos recentes indicam que o produto aumenta em até quatro vezes o risco de trombose. O risco é maior nas gerações mais recentes do #anticoncepcional do que com as versões mais antigas. Os efeitos colaterais devem-se aos hormônios usados no contraceptivo.

Publicidade
Publicidade

Mas, a tecnologia está chegando para o resgate com uma solução não-hormonal. A pesquisadora sueca Elina Berglund, PhD em Física, seu marido, o também PhD em Física sueco Raoul Scherwitzl, e uma equipe de especialistas em diversas áreas do conhecimento criaram um app para substituir a pílula anticoncepcional.

O #Aplicativo, que se chama Natural Cycles (Ciclos Naturais, em inglês), indica os dias em que a usuária está mais suscetível a engravidar. De posse dessa informação, a #Mulher que deseja evitar uma gravidez pode abster-se de manter relações sexuais ou usar um preservativo nesses dias.

Para que o aplicativo funcione, é necessário a mulher medir sua temperatura diariamente. Devido à relativamente pequena variação envolvida, o aplicativo disponibiliza um termômetro que fornece resultados com centésimos de grau Celsius.

Publicidade

A temperatura corporal da mulher e a data de sua menstruação são usadas pelo algoritmo do aplicativo para separar os dias em "verdes", em que a mulher não está fértil e medidas contraceptivas são dispensáveis, e "vermelhos", em que o sexo pode levar a uma gravidez.

O funcionamento do aplicativo baseia-se no fato de que, depois da ovulação, a temperatura da mulher varia levemente. É preciso, contudo, levar em conta que fatores como doenças e o consumo de bebidas alcoólicas, por exemplo, podem fornecer dados espúrios.

Por mais que o método pareça-se com a velha (e pouco confiável) tabelinha, o aplicativo saiu-se melhor do que a pílula no Índice de Pearl, uma metodologia para comparar a eficácia dos diferentes métodos para evitar a concepção.

O aplicativo funciona tanto para quem usa smartphones com o sistema iOS, da Apple, quanto para aqueles cujo diapositivo usa o sistema operacional Android. Pode-se fazer uma assinatura do app por cerca de R$ 28 mensais ou pagar cerca R$ 200 anuais. O termômetro para a medição da temperatura, cujas variações são muito sutis para os termômetros comuns, é enviado à casa da cliente.