Por mais incrível que possa parecer um indivíduo pode estar acima do peso, mas não estar obeso, pois este excesso de peso pode ser causado pelo aumento da massa muscular, por exemplo, como ocorre com os atletas. Por outro lado, uma pessoa obesa, segundo a definição medica, é alguém que possui um excesso de gordura armazenada no organismo e, devido a isso, pode estar propensa a desenvolver doenças.

Um dos principais e mais importantes indicadores da #obesidade é a chamada gordura abdominal, que é aquela gordura que se acumula na cintura, dando origem à tão desagradável “#barriga”. Porém, mais do que um incômodo de natureza estética, a gordura abdominal pode representar um dos mais graves problemas de #Saúde associados à obesidade.

Publicidade
Publicidade

A obesidade surge quando a pessoa, devido a maus hábitos alimentares e vida sedentária, acumula um nível de gordura natural no organismo acima daquele necessário para suas necessidades energéticas. Esse excesso de gordura armazenada no corpo faz com que a pessoa se torne mais propensa a desenvolver uma série de doenças, sendo que as principais são o diabetes e as doenças cardiovasculares.

O acúmulo de gordura abdominal produz um desequilíbrio no funcionamento do organismo e corresponde a um estado inflamatório crônico, que é o que caracteriza a condição de obesidade. Este estado inflamatório crônico corresponde a uma reação do organismo ao aumento excessivo de células gordurosas.

Este aumento das células gordurosas dá origem a certas substâncias que interferem em nosso apetite e no equilíbrio hormonal. Esse desequilíbrio, por sua vez, leva a uma redução da queima de gordura, agravando ainda mais o acúmulo de gordura abdominal e tornando o problema de saúde ainda mais delicado.

Publicidade

O que são gorduras e de onde elas vêm?

Gorduras são o nome comum que se dá a uma classe de substâncias chamadas lipídios ou triglicérides, que são uma categoria especial dos chamados ácidos graxos. Os lipídios ou triglicérides são produzidos tanto por plantas quanto por animais. Estas substâncias em geral são insolúveis em água. As gorduras, que são formadas por longas cadeias de átomos de carbono, são menos densas do que a água. É por esta razão que quando colocamos óleo na água, ele fica flutuando.

No organismo humano, as gorduras são “quebradas” por uma enzima que é produzida no pâncreas. As gorduras podem ser sólidas ou líquidas. Em geral, usamos a palavra gordura quando estamos nos referindo às triglicérides em estado sólido. Por sua vez, o termo óleo costuma ser utilizado para se referir à gordura líquida.

As gorduras são classificadas em dois tipos:

Insaturadas

As gorduras do tipo insaturadas são as de origem vegetal.

Saturadas

Já as gorduras saturadas são aquelas produzidas pelos animais e também por um grupo mais restrito de vegetais, tais como o coco e a palma.

Publicidade

Esta classificação corresponde ao tipo de estrutura química das moléculas de cada tipo de gordura.

As gorduras não são as vilãs da saúde humana. Pelo contrário, elas desempenham um papel importante no metabolismo, sendo fonte de energia para nosso organismo, ajudando principalmente a manter a temperatura do corpo constante, por meio do fornecimento de energia.

Além de fonte de energia e reguladora de temperatura, certos tipos de gordura têm um papel importante associado à digestão de certas vitaminas. Por exemplo, existe toda uma classe de vitaminas que são essenciais para a saúde humana e que somente são solúveis em gordura.

Essas vitaminas são chamadas de vitaminas lipossolúveis. Elas somente são digeridas, absorvidas e transportadas pelo organismo juntamente com as gorduras. O mesmo ocorre com alguns hormônios sexuais, que dependem da existência de gordura para que possam funcionar corretamente.

OS ÁCIDOS GRAXOS

Os ácidos graxos são realmente essenciais para o organismo e que participam desses processos importantes em nosso organismo fazem parte de um grupo especial denominado ômega-3.

Um detalhe importante e que sempre deve ser lembrado é que para o ser humano, o consumo de gordura insaturada, isto é, a gordura de origem vegetal, é bem mais saudável. Isto acontece porque os ácidos graxos insaturados possuem uma estrutura química que torna mais fácil para o organismo "quebrar" as moléculas de gordura para obter energia e processar as vitaminas que dependem das gorduras para seu aproveitamento.

Fato é que muitos médicos alertam há tempos que a obesidade é uma das doenças mais crônicas e graves do mundo moderno.