A depressão é uma doença extremamente preocupante e está crescendo diariamente. Essa enfermidade afeta aproximadamente 350 milhões de pessoas no mundo inteiro e, de acordo com estudos realizados pela Organização mundial de #Saúde, no ano de 2030 a #depressão vai afetar um número ainda maior pessoas.

Esse distúrbio prejudica as atividades diárias e ainda oferece riscos a vida do paciente. “Ela se tornou uma das maiores razões de suicídio. Aproximadamente, mil pessoas se matam anualmente no Brasil, o equivalente a 33 pessoas por dia. Esse número é considerado altíssimo e assustador, por isso o assunto deve ser tratado com muita atenção”, explica o presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo da Silva.

Publicidade
Publicidade

A depressão pode ser hereditária e costuma aparecer devido a situações que afetam o emocional, como a perda de emprego. Os pacientes que estão sofrendo com a doença, normalmente não sabem que estão com depressão, por isso deixam de procurar ajuda médica, achando que os sintomas são de tristeza ou ansiedade.

Os sintomas

As primeiras manifestações costumam surgir silenciosamente e, com o passar do tempo, elas podem se tornar mais intensas e devastadoras, conforme explica o Dr. Antônio Geraldo da Silva. Alguns dos sinais são:

  • Falta de vontade
  • Incapacidade de trabalhar
  • Modificações no apetite (aumento ou diminuição)
  • Falta de concentração
  • Cansaço ou apatia
  • Desesperança
  • Falta de prazer
  • Dores que não melhoram com tratamentos
  • Diminuição da libido
  • Delírio
  • Ansiedade
  • Perda de memória

Análise

Não existe nenhum exame específico que revele de imediato a doença, por isso o mais aconselhado é consultar um psiquiatra quando os sinais acima forem notados.

Publicidade

“Procurar um profissional é a melhor maneira de saber se a depressão realmente está presente. Muitas pessoas tem preconceito com a psiquiatria e, por isso, não buscam o auxílio de um neurologista ou psicológico para dar andamento no tratamento indicado pelo profissional. É bom deixar claro que, somente esses especialistas podem afirmar e oferecer o tratamento correto para a depressão”, aconselha o especialista.

A realização de alguns exames é importante, pois só assim é possível descartar a possibilidade de doenças que são facilmente confundidas com a depressão, principalmente porque algumas delas apresentam sintomas bem parecidos, como o hipotireoidismo, além de outros transtornos psicológicos que podem interferir drasticamente a saúde interna e externa do paciente.

Ansiedade e depressão

Quando o paciente apresenta a depressão, a ansiedade pode estar fazendo parte dos sintomas, o que pode trazer grande confusão para aqueles que não sabem diferenciar os sintomas. “A diferença está presente nos sinais.

Publicidade

O transtorno causado somente pela ansiedade não exibe tristeza ou falta de prazer e é totalmente diferente da depressão”, relata o médico.

Quando o paciente procura um especialista e ele atesta a doença, o uso de antidepressivos em conjunto com psicoterapia é necessário.

Muitas pessoas pensam que os antidepressivos viciam, mas esse é um pensamento completamente errado. Alguns medicamentos podem oferecer efeitos colaterais, como a sonolência e insônia, porém, mesmo com esses sintomas, eles se tornam a melhor alternativa para tratar a depressão finaliza Antônio Geraldo da Silva.

A participação da família também é essencial durante o tratamento, sempre oferecendo o apoio necessário para que o paciente se sinta seguro e apoiado durante esse período tão perturbador para os pacientes.