Para a grande maioria das pessoas, a noite é reservada para o descanso e para repor as energias gastas ao longo do dia de trabalho, de estudo e de outras atividades. Entretanto, para muitas pessoas espalhadas ao redor do mundo, a hora de dormir traz preocupação e medo. Não bastassem as preocupações do dia a dia que, literalmente, tiram o sono de muita gente, as pessoas que sofrem de um tipo específico de distúrbio do sono têm uma preocupação a mais antes de pegar no sono.

Trata-se da paralisia do sono, uma disfunção neurológica arrepiante e ainda pouco estudada pelos especialistas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas, genericamente, a pessoa com uma crise de paralisia do sono desperta e não consegue se mexer e nem mesmo falar.

Publicidade
Publicidade

Somente há pouco tempo as pessoas que são acometidas por esse tipo de problema começaram a expor a situação, já que é muito comum que tenham vergonha ou medo de relatar o ocorrido durante a noite.

Distúrbio sempre foi associado ao sobrenatural

Além da impossibilidade de falar ou de se mexer, é comum as pessoas acometidas pela paralisia do sono relatarem alucinações visuais, auditivas e sentir a presença de vultos e de figuras grotescas ao seu redor. É comum também o relato de sentir como se alguém estivesse deitado ou sentado sobre o corpo da vítima, o que explica a estreita relação do fenômeno com ataques de espíritos, entidades malignas, demônios ou outros seres.

O ataque dura apenas alguns minutos, mas quem o sofre tem a impressão de que a duração é muito maior, e em geral, acordam ofegantes ou até mesmo gritando, assustando a todos que o cercam.

Publicidade

Muitas pessoas relatam sentirem dores terríveis e outras consequências físicas, mas, ao acordarem, os sintomas cessam instantaneamente.

Segundo os especialistas, a paralisia do sono acontece durante o sono profundo, e se a pessoa desperta repentinamente por algum motivo, o cérebro demora um tempo para retomar as funções vitais, como os movimentos e a fala. Outra linha de pesquisa aponta para um delay entre o desligamento do corpo e da mente, ou seja, o corpo cai em estado de letargia e o cérebro segue funcionando, principalmente se a pessoa estiver muito cansada ou passando por momentos de estresse ou outros problemas neurológicos.

Atualmente, já existem documentários sobre o assunto, e cada vez mais as pessoas que sofrem dessa anomalia do sono se expõem e dividem suas experiências. Estimativas apontam que cerca de 6% da população mundial sofre com a paralisia do sono, e que, por enquanto, não há nenhum tipo de tratamento. O ideal é a pessoa tentar relaxar e esperar que o quadro volte ao normal. De qualquer forma, a experiência com a paralisia do sono continua sendo terrível e angustiante, e muito confundida com um ataque sobrenatural. #2017 #Saúde