Um assunto bastante questionado pela maioria das mulheres está intimamente ligado à sua saúde íntima. Presente em milhões de mulheres ao redor do mundo, o odor vaginal continua sendo uma das principais dúvidas abordadas nos consultórios ginecológicos.

O odor, que é, na maioria das vezes, saudável e típico da região, causa insegurança e até mesmo preocupação, quando o mesmo vem sendo notado frequentemente. Alguns fatores, porém, podem colaborar para o aumento do odor na região íntima; duchas quentes, lavagem excessiva da região, uso de roupas grossas e demasiadamente justas e até mesmo sabonetes que prometem cuidar da saúde e limpeza da vagina, podem ser os grandes vilões das mulheres.

Publicidade
Publicidade

Caso você esteja se sentindo desconfortável e incomodada com o aumento do odor vaginal, algumas dicas simples podem te ajudar a solucionar a questão. Confira alguns fatores intimamente ligado à produção excessiva de odor na região vaginal e lembre-se que para uma avaliação completa da saúde íntima da mulher, visitas periódicas ao ginecologista são essenciais.

1- Identifique a causa

Na maioria das vezes, o odor está ligado a infecções internas, tais como candidíase, bactérias ou até mesmo algum outro tipo de doença sexualmente transmissível. Quadros de infecções são constatados através de exames ginecológicos, que visam mapear as situações nas quais a paciente está exposta.

2- Desequilíbrio da flora intestinal

Para manter um bom funcionamento, a flora vaginal precisa estar em total equilíbrio.

Publicidade

Para isso, é preciso verificar a procedência de produtos ligados à região como: sabonetes íntimos, absorventes internos, lubrificantes íntimos e outros. Mudar frequentemente de calcinha, optando por materiais maleáveis e macios como algodão e lavar a região íntima sempre com água abundante podem melhorar significadamente quadros de corrimento e forte odor.

3- Parceiros sexuais

Algumas das vezes, o motivo do desequilíbrio da flora vaginal está ligada ao parceiro sexual, bem como a higiene realizada em seu parceiro. Na dúvida se ele mantém uma boa higiene íntima, procure manter relações sexuais com camisinha e observe se seu odor melhorará com a diminuição do contato íntimo.

4- Alimentação

Alimentos como iogurtes naturais tendem a colaborar para uma melhora na flora intestinal, bem como vaginal. Evite produtos como pães, cervejas e doces, pois os mesmos possuem levedura e excesso de açúcar.

5- Banho

Evite banhos muito quentes. Lave bastante a região íntima com água abundante e, se possível, fique por 20 minutos em uma banheira com uma mistura de 2 xícaras de vinagre de maçã. Ele ajuda o corpo a se livrar de toxinas e elimina bactérias que causam o mau cheiro. #higieneintima #SaudedeMulher #SaúdeIntima