Desde os tempos antigos, ostentar um cabelo saudável sempre foi sinônimo de jovialidade, saúde e status. Atualmente, nada mudou. A indústria da beleza capilar lucra milhares por ano com a venda de medicamentos, cosméticos e cirurgias, que nem sempre dão o resultado que é esperado. Os homens são os mais prejudicados por produtos que não funcionam, em especial os que combatem à calvície. De tônicos inibidores de hormônios a óleo de coco, a busca pela cura da calvície gera milhões e frustra milhares.

Finasterida

A calvície, chamada de alopecia androgenética, tem causa hormonal: uma enzima, a 5-alfa-redutasse, converte a testosterona em outro hormônio, o DHT (dihidrotestosterona), que é o responsável pelo atrofiamento progressivo dos fios de cabelo.

Publicidade
Publicidade

A finasterida atua inibindo a 5-alfa-redutasse, evitando assim a produção do DHT. Um dos maiores problemas do medicamento são os efeitos colaterais: perda da libido, alterações no esperma, disfunção erétil e até mesmo infertilidade. Segundo alguns especialistas, os efeitos colaterais que o medicamento pode causar cessam com a interrupção do uso, no entanto, outros alertam que o uso indevido do medicamente pode desencadear efeitos permanentes.

Ao contrário do que muitos pensam, não existe um estudo científico dos efeitos e eficácia da finasterida à longo prazo (10, 15 anos). O que realmente se sabe é que ela pode evitar a progressão da queda e não a queda em si. Portanto o paciente que optar por utilizar o medicamento, além de acompanhamento médico, deve saber que o uso deverá ser contínuo e que os riscos são altos.

Publicidade

O valor médio é de R$60 a R$100 por frasco com 60 cápsulas.

Minoxidil

O uso é direto no couro cabeludo e o medicamento ajuda na vascularização dos fios. Mas, assim como a finasterida, seu uso deve ser consciente: se o paciente usar de forma errada, o efeito pode ser contrário. Ao invés de 'segurar' os fios que estão progredindo para a calvície, em alguns casos, ele pode acelerar a queda após a interrupção abrupta. Também não há estudos científicos que comprovem os efeitos e eficácia à longo prazo (10, 15 anos), mas assim como a finasterida, ele retarda a perda capilar, o que já é ótimo para quem combate a calvície. O valor médio por frasco de 50ml é de R$100 a R$140.

Óleo de coco

Não existe nenhum estudo científico que comprove os efeitos do óleo de coco no combate à calvície, nem para efeitos imediatos nem à longo prazo. Mas ele pode sim contribuir para a saúde capilar, pois possui nutrientes importantes para o funcionamento do organismo, o que auxilia no desenvolvimento sadio do cabelo.

Publicidade

Mal não fará, apenas se o paciente tiver algum tipo de alergia (o que é raro) O valor do frasco varia de R$30 a R$70.

Transplante Capilar

O procedimento cirúrgico tem se tornado muito popular entre os homens, em especial os políticos, atores e jogadores de futebol. Ele consiste em retirar os fios de uma área mais saudável, que não foi afetada pelo DHT, e transplantá-los para a área calva. O resultado é permanente (pelo menos deveria ser) e varia de acordo com a habilidade do médico que o fará. Ao contrário de antigamente, hoje alguns médicos conseguem deixar o cabelo implantado com um aspecto bem natural, mas o valor do procedimento nesses cirurgiões é bem salgado: cerca de R$30.000.

Fórmulas mágicas

Existem ainda aqueles vários kits que prometem acabar com a calvície: de loções a shampoos milagrosos, nada disso realmente funciona. Os efeitos, se tiverem, não são comprovados cientificamente e muitos podem prejudicar a saúde do cabelo e do couro cabeludo. Portanto, fiquem atentos ao componentes desses produtos e suspendam o uso se houver algum tipo de reação indesejada.

O quê fazer então?

Uma boa alimentação e hábitos saudáveis, como não beber em excesso, já ajudam muito na saúde capilar, claro que não resolvem tudo, mas ajuda muito mais do que alguns produtos milagrosos. No caso da calvície, os medicamentos ajudam muito, mas devem ter acompanhamento médico (de um bom) para que os efeitos colaterais sejam minimizados. Embora existam diversos fóruns sobre calvície que ‘ajudam’ os homens a se medicar sem orientação médica, se automedicar não é uma saída muito esperta nesses casos. Caso opte por um transplante capilar, procure um que faça parte da Sociedade Brasileira da Cirurgia da Restauração Capilar, é mais seguro do que operar com o médico ali da esquina que deixará sua cabeça cheia de tufos e cicatrizes.

No mais, lembre-se: os melhores personagens quando evoluíram ficaram calvos! Sem contar que muitos homens ficam muito mais atraentes sem #Cabelos. #calvicie