Se o órgão sexual feminino não estiver bem lubrificado, por razões que podem incluir menopausa, doenças e o estado psicológico da mulher, entre outras razões, o ato sexual pode ser desconfortável e até doloroso para os parceiros. Especialmente para a mulher, que, depois do sexo, pode também experimentar incômodos.

Para evitar esses problemas, o casal pode decidir lançar mão de lubrificantes artificiais. É preciso, porém, tomar cuidado. Produtos à base de água são mais recomendáveis do que aqueles feitos à base de óleo ou silicone, já que tendem a afetar a integridade estrutural do preservativo, o que expor o casal à transmissão de doenças sexualmente transmissíveis e a uma gravidez não-desejada.

Publicidade
Publicidade

Além disso, é extremamente recomendável usar como #lubrificantes produtos comercializados especificamente com esse fim. Improvisar como lubrificantes sexuais produtos que não foram criados para isso é algo que deve ser evitado, pois, entre suas possíveis consequências, estão alergias, inchaço e infecções.

Entre os produtos que não devem ser improvisados como lubrificantes vaginais, mas, infelizmente, às vezes são, podem ser mencionados os cinco ligados a seguir:

1 - Vaselina

Embora seja escorregadia e, portanto, lubrificante, a vaselina é feita à base de petróleo e não é um produto que deva ser utilizado, pois esse uso inadequado pode causar infecções.

2 - Saliva

Além de não ser capaz de substituir lubrificantes artificiais, por não ser viscosa o suficiente, seu uso pode transmitir doenças por causa de bactérias que podem ser encontradas nela.

Publicidade

3 - Manteiga

O que quer que a famosa cena do ator Marlon Brando fazendo sexo com a atriz Schneider em o Último Tango em Paris possa significar para as pessoas - há a suspeita de que a atriz não sabia o que ia acontecer -, aquele não é um uso apropriado da manteiga. O uso da manteiga para facilitar o intercurso sexual pode causar alergias e infecções graves e, portanto, deve ser evitado.

4 - Cremes corporais

Cremes hidratantes, quando aplicado na região íntima da mulher, podem causar irritação e inchaço e também devem ser evitados. Definitivamente, não foram feito para esse uso.

5 - Óleo de coco

Por ser um óleo (ver o que ficou dito acima sobre lubrificantes à base de óleo), o óleo de coco ameaça a integridade do preservativo e pode expor o casal aos riscos de uma doença sexualmente transmissível ou a uma gravidez não-desejada. #relação sexual