De acordo com a rede BBC, cientistas encontraram um planeta que é mais quente do que as estrelas mais comuns da Via Láctea – conhecidas como Anãs Vermelhas –, apresentando temperaturas superiores a inacreditáveis quatro mil graus Celsius.

Existem dois motivos principais para que o exoplaneta conhecido como KELT-9b seja um verdadeiro "inferno": o sol que ele orbita (KELT-9) é muito mais quente do que o nosso (cuja temperatura de superfície alcança aproximadamente 6.000ºC), e, além disso, este mundo está em uma órbita muito próxima de sua estrela-mãe. Para se ter uma ideia, o planeta está tão perto de seu astro que completa uma órbita ao redor de KELT-9 em penas dois dias, em comparação com os 365 dias que a Terra leva para dar uma volta em torno do Sol.

Publicidade
Publicidade

Infelizmente, esta é uma "péssima notícia" para KELT-9b, pois os gases de sua atmosfera estão sendo bombardeados e corroídos com intensa radiação ultravioleta, e estão sendo perdidos no espaço. Portanto, na escala cósmica de tempo, o planeta não existirá por um prazo muito longo.

Além disso, se soma o fato de que KELT-9, que está na categoria de "estrela do tipo A", possui uma "vida breve", chegando ao fim de sua existência em alguns milhões de anos – e não bilhões, assim como acontece com o Sol. Assim sendo, em breve, KELT-9 vai alcançar um novo estágio evolucionário e aumentar de tamanho, literalmente "engolindo" KELT-9b.

Ainda em relação à estrela KELT-9, os cientistas puderam determinar que ela é cerca de duas vezes e meia mais maciça do que o nosso Sol e quase duas vezes mais quente, além de girar em torno de seu eixo muito rapidamente, o que faz com seu formato pareça um pouco achatado ao invés de completamente esférico.

Publicidade

Mundo estranho

KELT-9b também apresenta outras bizarrices além do seu calor intenso: ele circula seu astro de polo a polo, assim como os cometas costumam se comportar, e não os planetas. Além disso, está gravitacionalmente "travado", o que quer dizer que sempre apresenta a mesma face voltada para a sua estrela, assim como a Lua faz em relação à Terra, o que eleva sua temperatura no lado diurno para 4.300ºC.

Adicionalmente, KELT-9b é muito grande, pois comparado a Júpiter, possui uma massa três maior e o dobro do tamanho.

O professor Scott Gaudi, da Ohio State University, afirmou à rede BBC que a primeira detecção deste exoplaneta ocorreu em 2014, mas os cientistas demoraram todo esse tempo para confirmar que KELT-9b era de fato um planeta justamente por causa de sua estranheza. #Ciência #Curiosidades