Sexo dá prazer, mas pode ser muito bom à #Saúde. É o que garantem cientistas do National Defence Medical Centre. Eles realizaram uma pesquisa em Taiwan e revelaram um grande segredo da prática sexual.

O ato íntimo pode ser muito bom à saúde do coração, mas apenas para os homens. Isso porque os rapazes que mantém práticas sexuais frequentemente acabam com uma redução de uma substância considerada perigosa para o coração, a homocisteína. Quanto mais vezes eles fazem amor, menos essa substância costuma apresentar no sangue.

Mulheres não tiveram a mesma sorte na pesquisa

Mas no que isso é bom? Os especialistas explicam que quanto mais homocisteína existir na corrente sanguínea, mais chances há dos vasos que levam o sangue para o corpo serem bloqueados.

Publicidade
Publicidade

Isso, é claro, pode fazer com que o coração tenha que trabalhar muito mais e levar a um infarto. Infelizmente, as pesquisas não chegaram a essa mesma conclusão no caso das mulheres. Ou seja, pelo menos nesse quesito, o #sexo não é tão bom assim para a saúde delas.

Homens que fazem sexo com frequência têm menos chance de ter doenças do coração

A pesquisa concluiu que a prática sexual para os homens faz com que o sangue circule mais rapidamente e livremente pelo corpo. Isso favorece a saúde do coração e inibe doenças cardíacas. O estudo ganhou repercussão no mundo inteiro e foi publicado por sites como do tabloide britânico Daily Mail.

Com o sexo, o homem se previne das doenças do coração, pois evita que a homocisteína se acumule. Durante a prática, essa substância fica em níveis considerados controlados.

Publicidade

Ato íntimo de duas a mais vezes por semana reduz riscos de infarto

No caso das mulheres, isso é diferente. Isso porque no caso delas a excitação na prática a dois não reduz a mesma substância. Na hora ’’H’’, o fluxo sanguíneo delas não é tão alterado como no caso dos homens.

O estudo concluiu, por exemplo, que ir para a cama com o seu amor de duas ou mais de duas vezes na semana, faz com que eles reduzam pela metade os riscos de infarto. Isso porque as artérias ficam bem menos entupida. Já os rapazes que fazem sexo apenas uma vez por mês entram em um grupo chamado de risco do coração.

Menos chance de ter câncer

É claro que isso não é suficiente para se prevenir contra as doenças cardíacas. Além do ato sexual, atividades físicas regulares e uma dieta balanceada podem fazê-los viverem mais. A pesquisa foi realizada com mais de dois mil homens entre 20 e 59 anos de idade.

Além dos problemas de coração, a homocisteína ainda está ligada ao aparecimento de outras doenças, como o câncer e o Alzheimer. Quem está com essa substância descontrolada no sangue acaba tendo pelo menos 66% a mais de chance de ter essas doenças. #Relacionamentos