A maioria das mulheres sofre com a dismenorreia ou #Cólica Menstrual, como é mais conhecida. É uma dor na pélvis que, na maioria das vezes, é bem forte.

Esta dor é provocada pela liberação de uma substância chamada prostaglandina, que faz o útero ficar contraído liberando o endométrio, que é um tecido que reveste toda a parede interna do útero e a sua espessura, dando origem ao sangramento que todos conhecem por menstruação.

Existem dois tipos de dismenorreia, que são a primária e a secundária.

Dismenorreia primária - A dismenorreia primária é provocada pelo aumento na produção de prostaglandina. Este excesso durante o período menstrual provoca fortes contrações do útero.

Publicidade
Publicidade

A dor é o resultado da falta de oxigênio em partes do útero.

Dismenorreia secundária – Geralmente, a dismenorreia secundária é associada a algum distúrbio nos órgãos reprodutivos femininos (endometriose, fibromas, miomas, estenose cervical, tumores pélvicos).

Sintomas da dismenorreia

Predomina a #Menstruação dolorosa com cólicas no baixo ventre, a intensidade da dor é variável, muitas vezes a mulher sente dores nas costas e nos membros inferiores. Frequentemente é uma dor aguda com raros momentos de alívio. Quando as dores são fortes demais, sempre estão associadas a outros sintomas, como dor de cabeça, dor e inchaço das mamas, náuseas e vômitos.

Diagnóstico da dismenorreia

O diagnóstico é importante para saber se a dismenorreia é primária ou secundária para que se possa fazer o tratamento correto.

Publicidade

Isso é feito com um exame de laboratório e um levantamento do histórico clínico da mulher.

Tratamento da dismenorreia

As cólicas menstruais primárias podem ser tratadas com a prática de exercícios aeróbicos que liberam a endorfina, fazer compressas quentes abaixo do umbigo ajuda a aliviar a dor e comer muita fibra. Já no caso da dismenorreia secundária, geralmente, é necessário fazer um procedimento cirúrgico.

Tanto para a dismenorreia primária quanto a secundária, o médico pode receitar o uso de medicamentos anti-inflamatórios para alivio da dor.

As mulheres diagnosticadas com dismenorreia primária e que têm uma vida sexual ativa, mas que não desejam engravidar, é indicado que continue tomando a pílula anticoncepcional, pois os hormônios contidos neste medicamento provocam a atrofia do endométrio, que é o local onde se produz a prostaglandina. A pílula faz com que as cólicas menstruais diminuam. #TPM