Quando o assunto é #gravidez, logo se têm inúmeras inseguranças a respeito de como deve proceder uma #relação sexual nesse período. Sabe-se que uma mulher, em sua gravidez, passa por um dos momentos mais complicados, que chega a interferir em seus hormônios. Essa afirmação está relacionada tanto ao aspecto físico como ao emocional. Existem milhares de mulheres que afirmam obter uma mudança radical, quando começam a carregar um bebê na barriga. Elas dizem que o #sexo acaba sendo um assunto descomplicado, porém não tão simples.

Sabe-se também que, após uma gravidez, muitos casais acabam deixando o sexo para segundo plano. Porém, eles pouco sabem que o sexo é um exercício benéfico, tanto para a grávida, como também para o futuro bebê e, sem sombra de dúvidas, ajuda em 100% na vida amorosa.

Publicidade
Publicidade

A terapeuta e sexóloga, Ana Sierra, afirmou em coletiva ao portal ZEN do El Mundo, que a relação sexual ajuda na liberação do estresse, além de auxiliar na perda de alguns medos e, até mesmo, levar o casal a explorar partes do corpo que ainda não foram exploradas.

A sexóloga ainda disse que a mudança nos hormônios tem o poder de interferir de forma negativa no desejo sexual. Porém, o casal deve se esforçar para não deixar a chama se apagar, principalmente tendo a oportunidade de praticar novas posições, aquelas que tragam conforto para ambos na relação sexual. Somam muito e, nesse sentido, as carícias, os beijos e as massagens estão valendo. “Um casal que seguir esses conselhos, com certeza, poderá até mesmo revolucionar o relacionamento e obter uma vida sexual mais ativa, durante o período da gestação”, afirmou a especialista.

Publicidade

Então fiquem tranquilos, pois não existe perigo algum para o bebê, salvo, claro, quando o sexo não for praticado com segurança. Mas, a respeito da atividade sexual durante o período da gravidez, não causa desconforto, muito menos dores. Aliás, pelo fato de a mulher estar bem mais sensível, a relação sexual poderá até ficar mais intensa e trazer um melhor orgasmo durante o ato sexual.

“Eu tenho uma grande amiga que, no momento em que passou pela gravidez, estava vivendo esse triste drama: pouco desejo por sexo e o famoso medo de prejudicar o bebê. Após ouvir e praticar meus conhecimentos, nos dias seguintes ela só teve a me agradecer”, afirmou a especialista.

Agora que você já descobriu a novidade e também recebeu algumas dicas, o que acha de colocá-las em prática? Procure seu parceiro o mais rápido possível e desfrute ainda mais do amor entre vocês. Tenha certeza que o mínimo que poderá acontecer é um avanço bem significativo no seu relacionamento.