A maioria das pessoas busca eliminar a gordura da barriga apenas por uma questão estética ou por imposição social (em especial sobre as mulheres).

O que pouca gente sabe, é que esse acúmulo de gordura abdominal é extremamente prejudicial à #Saúde contribuindo para o surgimento de algumas doenças como: problemas cardíacos, câncer, depressão, entre outros.

Vários fatores de risco estão relacionados à obesidade.

O que é a gordura da barriga?

A também chamada gordura visceral é o excesso de tecido adiposo que se aloca em torno de órgãos viscerais como fígado, pâncreas, rins e intestino.

Esse excesso de gordura não apenas incomoda apertando suas calças, mas interfere diretamente na maneira como suas funções hormonais respondem aos estímulos externos influenciando diretamente no seu apetite, peso, humor e função cerebral, além de liberar substâncias inflamatórias conhecidas como citocinas.

Publicidade
Publicidade

Como ocorre o acúmulo de gordura na barriga?

O acúmulo de gordura corporal está diretamente ligada à quantidade de açúcar liberada em nosso organismo que é controlado pelo hormônio insulina.

A insulina tem a função de fragmentar as moléculas de açúcar e introduzi-las no sangue para as células, que é o processo que fornece energia para o cérebro, tecidos e função muscular quando está tudo funcionando corretamente.

O que acontece é que a insulina também é responsável pelo “estoque” de energia em nosso #Corpo, ou seja, o acúmulo de gorduras. O consumo excessivo de carboidratos e açúcares refinados elevam os níveis de açúcar contribuindo para esse “armazenamento”.

A elevação dos níveis de insulina varia de pessoa para pessoa de acordo com suas funções celulares e hormonais, entre outros fatores que estão diretamente relacionados às pessoas que possuem ou não uma predisposição maior ou menor de acumular açúcar.

Publicidade

Malefícios de gordura na barriga

Como citado anteriormente, a gordura abdominal não é apenas um problema estético. Ela pode estar relacionada algumas disfunções como:

Aumento da inflamação: Esse acúmulo de gordura libera alguns hormônios tóxicos ao organismo que podem provocar a inflamação dos órgãos e desencadeia uma série de reações autoimunes que dificultam o funcionamento do metabolismo.

Risco maior de diabetes: Por estar diretamente relacionada ao excesso de açúcar no sangue, a gordura abdominal é considerada a mais prejudicial no indício de diabetes.

Dificulta a perda de peso: Como altera a fome, a pessoa fica mais suscetível à ingestão de alimentos, e assim eleva os níveis de insulina. Esses alimentos transformam-se mais facilmente em gordura acumulada.

A inflamação corporal oprime o fígado com colesterol e toxinas e está associada a um aumento no risco de doenças cardíacas: triglicérides e colesterol elevados e pressão alta.

Aumenta o risco de demência: Excesso de gordura no corpo equivale a menos volume no cérebro deteriorando seu funcionamento em idade avançada.

Publicidade

A propensão à demência está ligada não apenas ao excesso de peso, mas as pessoas com acúmulo de gordura abdominal ainda que não estejam em sobrepeso.

Depressão e problemas de humor: O excesso de gordura corporal está diretamente relacionado às alterações hormonais que podem influenciar no humor. Já a depressão é especialmente relacionada com o acúmulo de gordura em mulheres.

5 dicas para eliminar a gordura da barriga

1 - Reduza o açúcar e carboidratos refinados

Conforme mencionado anteriormente, a insulina está diretamente ligada ao excesso de açúcar e acúmulo de gordura em nosso corpo.

Felizmente podemos controlar a ação desse hormônio em nosso organismo através dos alimentos consumidos.

Alimentos com baixos índices de açúcar e em seu estado natural poderão equilibrar novamente o sistema e reduzir a gordura.

2 - Consuma vegetais, gorduras e proteínas

Esses alimentos ajudam a queimar gordura. As proteínas contribuem para uma maior saciedade além de possuir inúmeros nutrientes. Quanto mais o alimento estiver próximo de seu estado natural, maior seu efeito no organismo. Evite produtos industrializados e altamente processados.

3 - Faça atividade física regularmente

A atividade física também libera alguns hormônios essenciais capazes de equilibrar a ação da insulina.

4 - Reduza o estresse

Poucas pessoas levam esse passo em consideração quando relacionado à perda de gordura.

Mas a interação social e as atividades que dão prazer como: leitura, oração, meditação e contato com a natureza vão contribuir positivamente na atuação hormonal.

5 – Tenha uma boa noite de sono

Outra dica negligenciada. Os benefícios de uma boa noite de sono vão muito além do merecido descanso. O bom sono ajuda no controle do estresse e apetite e impulsiona nosso metabolismo.

Comportamentos simples podem ter resultados muito mais satisfatórios do que a “mágica” que a grande maioria das pessoas procura.

Não custa tentar... Ame-se! Cuide-se! #barrigachapada