Geralmente, a grande maioria das pessoas considera sua cama como um local seguro e confortável, um verdadeiro refúgio depois de um dia cheio de trabalho, estudo ou outras atividades cotidianas. No entanto, o que a maioria das pessoas ignora é que a cama pode esconder diversos perigos para a #Saúde humana, chegando, inclusive, a trazer doenças e enfermidades graves.

Microrganismos, seres microscópicos e até mesmo substâncias químicas perigosas podem ser encontradas em colchoes, cobertores e lençóis, tornando a cama um lugar não tão seguro quanto aparentemente se imagina. Conheça agora quatro itens perigosos encontrados no local de descanso da maioria das pessoas.

Publicidade
Publicidade

1 – Vírus, bactérias e outros seres microscópicos: os colchões domésticos têm um prazo de vida útil bem definido. Segundo os especialistas, depois de cinco anos de uso já é indicada a sua substituição.

Isso se deve ao fato de que a espuma, o tecido e os demais materiais do colchão serem um habitar perfeito para diversos organismos microscópicos, como determinados tipos de bactérias e vírus, que encontram nesse local as condições perfeitas de instalação e também de proliferação.

Da mesma forma que os colchões, os travesseiros também podem ser o local ideal para o surgimento e a procriação desses seres, ainda mais se houver umidade ou outros elementos que proporcionem essas condições.

2 – Ácaros: esses pequenos seres podem ser considerados os verdadeiros vilões das camas e colchões de todo o mundo, já que estão presentes em praticamente todo e qualquer quarto humano, independentemente da classe social, das condições climáticas e da higiene do local.

Publicidade

Os ácaros se alimentam de resto da pele humana que se desprendem naturalmente todos os dias.

Com alimentação farta, se reproduzem assustadoramente, chegando, inclusive, a serem encontrados milhões de ácaros em uma única cama. Embora esses parasitas sejam inicialmente inofensivos, algumas pessoas podem desenvolver alergias e outras complicações de saúde por conta do excesso de presença de ácaros em suas camas, principalmente aquelas que já apresentam quadros alérgicos, sejam respiratórios ou de mordidas e picadas de outros insetos.

Portanto, deixar o colchão exposto ao sol regularmente e manter a limpeza básica ajuda a diminuir a incidência dos ácaros, mesmo que eliminá-los totalmente seja impossível.

3 - Mofo: muito comum em regiões úmidas e em ambientes com pouca ventilação e luminosidade natural, o mofo pode ser um inimigo em potencial, principalmente para as vias respiratórias e como um transmissor de doenças graves. Portanto, seja no colchão ou mesmo nas paredes do ambiente de dormir, o ideal é evitar a proliferação do mofo e se possível, manter o local arejado e o mais seco possível.

Publicidade

4 – Produtos químicos: com o avanço da tecnologia do sono, ou seja, daquela que emprega cada vez mais recursos e produtos para melhorar a qualidade dos colchões, é comum o relato de reações alérgicas causadas por esses produtos, como, por exemplo, os que tornam os colchões mais resistentes ao fogo. Se por um lado essa evolução traz mais segurança em um caso de incêndio, por outro, aumenta o perigo de certos tipos de intoxicação e de alergias, que podem causar também sérios problemas de saúde. #PerigosNaCama #InimigosIntimos