O corpo da mulher tem muitos mistérios. Desvendá-los, certamente, não é uma tarefa fácil. Mesmo assim, cientistas em todo o mundo mostram-se dispostos a entender mais sobre as engrenagens de carne e osso e parecem ter um único objetivo, mostrar que podem ajudar as mulheres com suas descobertas. Especialistas podem dar dicas preciosas sobre #Saúde e é de uma delas que vamos falar nesse artigo. É muito comum que mulheres tenham ao redor dos seus seios pequenos pelos. Caso isso ocorra, a mulher deve ficar atenta e procurar um médico. Isso porque esses são os sinais de uma doença sem cura, a Síndrome do Ovário Policístico. Conviver com essa doença pode ser desgastante, mas é possível evitá-la.

Publicidade
Publicidade

No geral, as mulheres que têm a doença convivem com hábitos diários ruins, como má alimentação e falta de exercícios físicos. Além dos pelos na região dos seios, outros sintomas são bem comuns entre elas. As espinhas podem aparecer e os pelos surgirem em outras regiões do corpo. Esses, segundo os médicos, são os primeiros sinais de que a doença está a aparecer. É preciso ficar atenta, já que a Síndrome do Ovário Policístico acaba estando associada com outras doenças piores, como até o câncer do endométrio. Diabetes e infertilidade também podem aparecerem nas mulheres que sofrem com esse mal e não se cuidam.

Por que a Síndrome do Ovário Policístico aparece?

Segundo os especialistas, as mulheres que descobrem esse mal tem problemas em seus hormônios. A enfermidade tem ligação genética.

Publicidade

Por isso, caso uma parente já tenha passado por esse diagnóstico, as demais mulheres devem ficar atentas. A doença aparece, justamente, na idade em que hoje as mulheres tentam ser mães, entre os 20 e 30 anos de idade. Os problemas hormonais acabam se associando ao sobrepeso e a doença surge.

Para terem certeza de que a mulher está mesmo com a enfermidade, os médicos podem pedir vários exames. O profissional correto para cuidar desse mal é o ginecologista. Um dos exames comuns é o ultrassom. Nesse exame, o médico olha como estão os ovários da paciente. Caso eles estejam com vários folículos ao seu redor, algo está errado. É preciso estar atenta ao uso de contraceptivos, como a pílula anticoncepcional. Nesse caso, um novo procedimento pode ser solicitado. Um exame transvaginal pode ser evitado, no caso da mulher ser virgem.

Para evitar a doença, a primeira recomendação é manter hábitos saudáveis. Além disso, frequentar o ginecologista é muito importante. Mesmo sem relações sexuais, a mulher necessita tomar anticoncepcionais, já que eles fazem a reposição hormonal.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante.