É muito difícil encontrar alguém que resista a uma porção de batata frita, mas segundo pesquisa divulgada no American Journal of Clinical Nutrition, comer batata frita duas vezes na semana aumenta as chances de morte precoce. Isso gera alto risco de doenças cardíacas devido elevada quantidade de gordura trans, de acordo com a pesquisa.

Uma pesquisa feita na Itália, mais precisamente na Universidade de Pádua, onde foram observados 4,4 mil voluntários com idade de 45 a 79 anos, apontou o risco. Nessa pesquisa, foram formado três grupos de pessoas. O primeiro com os consumidores de batata frita, o outro com pessoas que comiam batata preparada de outras maneiras, como cozida, por exemplo, e por fim o terceiro grupo constituído por indivíduos que não consumiam batata.

Publicidade
Publicidade

No fim do teste, 236 mortes foram registradas, a maioria consumia batata frita.

Para o líder do estudo, Nicola Veronese, o óleo de cozinha sendo rico em gordura trans, é um fator importante para explicar mortalidade daqueles que comeram batata frita.

Fatores que devem ser considerados

O alto consumo de sal para temperar a batata, sedentarismo e a obesidade são outros fatores que os pesquisadores admitem ter grande influência no resultado da pesquisa. Demonstrando assim a importância de se praticar exercícios físicos regularmente.

Já a batata "do bem" fornece fibras e vitaminas. Se a batata frita é vista como vilã da história, por outro lado, a batata cozida é a mocinha, pois é uma ótima fonte de micronutrientes, vitaminas e fibras, segundo os idealizadores do estudo.

Algumas vitaminas importantes fornecidas pela batata: vitamina B, vitamina C, vitamina E e vitamina K, além de zinco, manganês, magnésio, ferro e cálcio.

Publicidade

Além disso, bata frita gera a acrilamida, substância tóxica e cancerígena proveniente das altas temperaturas da fritura. Conforme a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), essa substância é tóxica e cancerígena para humanos e outros animais.

Segundo a nutricionista Stephanie Schiff, os alimentos feculentos como as batatas produzem esse produto químico ao serem fritas ou assadas em temperaturas muito altas. Essa substância é encontrada em alimentos ricos em amido. Alguns exemplos são: batatas fritas industrializadas, batatas chips, batatas pré-fritas que se encontra nos supermercados, bolachas recheadas, cookies, mingau para crianças e cafés instantâneos. Todos esses alimentos geram essa substância em seu processo de fabricação. #batatafrita #Alimentação Saudável #Saúde