Muitas pessoas sentem uma dificuldade recorrente durante o #Sono. Acordam sentindo-se mal, com a sensação de estarem sendo sufocadas ou enforcadas. Algumas relatam que têm a impressão de ter alguém sobre seu peito e ficam paralisadas, outras chegam a ver vultos.

É comum que muitos pensem se tratar de uma situação paranormal. Entre as pessoas acometidas por este mal, uns acreditam que são perseguidos por espíritos malignos, que se aproveitam da vulnerabilidade do sono, para manifestar-se.

Essas pessoas juram que, ao experimentarem as sensações de pavor, elas já estão acordadas e não se trata de um pesadelo ou alucinação.

Publicidade
Publicidade

Mas os médicos têm uma explicação cientifica para este mal, que é chamado de “Paralisia do sono”.

Esse distúrbio acomete geralmente pessoas que têm depressão ou ansiedade, e os fatores sociais e psicológicos influenciam diretamente no aumento das crises.

Segundo pesquisadores, quando a pessoa entende o que ocorre com ela, fica mais fácil se acalmar e diminuir os efeitos da crise.

A paralisia do sono ocorre quando a musculatura corporal e o cérebro se dessincronizam, quando o individuo está no sono REM, aquele mais leve em que os olhos se mexem bastante.

Durante essa fase, o cérebro humano libera substâncias que servem para paralisar a musculatura para o sono, mas algumas pessoas despertam então o cérebro consciente no corpo que está em estado de sono, causa a sensação de paralisia, sufocamento e as outras sensações.

Publicidade

De fato, a pessoa já recobrou a consciência e, por isso, diz que está acordada, mas as funções musculares ainda não. Apesar de ser extremamente desconfortável e trazer pavor ao individuo acometido, os médicos dizem que não causa problemas para o resto do organismo.

O distúrbio varia de pessoa para pessoa, umas conseguem se recuperar em segundos, mas há casos em que a sensação de paralisia e mal-estar pode durar até cinco minutos.

Vários fatores contribuem para o aparecimento ou aumento das crises. Estresse, fadiga física, falta de rotina para o sono, uso de estimulantes, algumas drogas ou medicações, e também a posição, de barriga para cima, fazem com que a pessoa tenha mais probabilidade se sentir a paralisia.

Alimentação adequada à noite, sono regrado e atividades físicas, dormir com roupas confortáveis e leves e procurar deixar o ambiente o mais tranquilo possível, são boas formas de prevenir os sintomas do problema. Mas os especialistas alertam que se mesmo assim a pessoa sentir a paralisia, ela deve concentrar-se e tentar mexendo aos poucos os dedos dos pés ou das mãos, pois assim que um músculo se movimenta tudo volta ao normal. #Curiosidades #Saúde