Muitos não sabem, mas o #Pectus afeta muitas pessoas. Estima-se que pelo menos 1% da população mundial sofra com isso. Geralmente, o problema é mais comum nos homens.

O pectus é um tipo de deformidade que ocorre na parede do tórax. Essas deformidades acontecem devido ao crescimento anormal das cartilagens. Em muitos casos, o pectus pode trazer consigo alguns problemas físicos, como é o caso da fadiga, dor e falta de ar. Além destes, o portador pode sofrer também com problemas sociais. Em muitos casos, alguns pacientes, por questão estética, se tornam pessoas mais inibidas e, às vezes, relutam e não expõem essa região do corpo, seja durante a prática de um esporte, ou ao frequentar um clube com piscina ou até mesmo na praia, por exemplo.

Publicidade
Publicidade

Classificação das deformidades

Síndrome de Poland

Ela é caracterizada pelo encurtamento dos dedos da mão (braquidactili), ou pelo fato do indivíduo ter os dedos unidos (sindactilia). Uma outra característica da Síndrome de Poland é a ausência do músculo peitoral maior. Essa ausência pode ocorrer quase em sua totalidade de pelo menos um dos lados, mas, geralmente, é predominante no lado direito.

Fendas esternais

As fendas esternais são causadas por uma má formação do feto, que geralmente acontece por volta da 8ª semana de gestação da mulher. Essa má formação costuma resultar na separação completa ou separação parcial das duas barras que formam o osso esterno.

Pectus excavatum

O tipo pectus excavatum costuma ser o mais comum. Sua característica principal é uma depressão que costuma se formar nas costelas para dentro do tórax.

Publicidade

Geralmente, a parte superior do osso esterno (manúbrio), segunda cartilagem costal e a segunda costela, são normais.

Pectus carinatum

Essa é menos frequente que o excavatum e geralmente as mulheres são menos atingidas do que os homens. A característica do pectus carinatum é o aspecto '#Peito de pombo', provocado pelo deslocamento da costela e do osso esterno para frente.

Normalmente, um médico diagnostica facilmente o problema. Porém, o especialista poderá requerer alguns exames para que, dessa forma, o profissional consiga definir um plano terapêutico eficiente para o paciente.

Nesse caso, assim que o especialista fizer um diagnóstico preciso, ele poderá definir se o tratamento realizado será feito de modo cirúrgico ou não.

Lembre de deixar o seu comentário. Sua opinião é muito importante e ajuda no diálogo de temas com relevância para a sociedade. #Drauzio Varella