Embora a #vagina tenha um certo odor natural, que é geralmente suave, frequentemente, nem é percebido e pode se alterar de acordo com a fase do ciclo menstrual em que a mulher esteja. Algumas vezes, fatores que causam desequilíbrio da flora vaginal acabam causando mau cheiro. A seguir, estão listados e comentados de maneira breve sete conselhos dos #ginecologistas para evitar que o órgão feminino desenvolva cheiro ruim:

1 - Evitar higiene excessiva

Parece ser uma comprovação das velhas exortações à moderação. Higiene é importante, mas no caso da vagina há uma que precisa ser levado em conta: as secreções e pelos colaboram para a proteção da região.

Publicidade
Publicidade

Higiene excessiva pode levar fungos e bactérias que vivem na área a se multiplicar excessivamente, o que pode causar problemas como doenças e o mau cheiro.

2 - Evitar também a higiene insuficiente

Pois é, nem oito nem oitenta. Não é porque a higiene exagerada é ruim que a higiene insuficiente será boa. Não cuidar da higiene da região pode levar a presença excessiva de secreção e suor, o que, além de poder causar incômodo, como coceira, pode causar doenças e também mau cheiro na região, por incrível que pareça. Durante o banho, as dobras do órgão devem ser lavadas cuidadosamente com sabão neutro.

3 - Não usar o sabonete errado

Já que se tocou no assunto. O sabonete ideal para a higienização é o sabonete neutro. Os outros podem limpar excessivamente a região (ver item 1 dessa lista) e/ou possuir substâncias que podem causar irritações na da mulher e também mau cheiro na região.

Publicidade

4 - Tomar cuidado com a transpiração excessiva

O excesso de suor é outro fator que pode causar mau cheiro no órgão sexual. Medidas recomendadas para lidar com esse excesso de suor são a troca frequente de peça de roupa íntima e fazer uso de peças que são feitas de tecidos como algodão, que ajudam a refrescar a região.

5 - Evitar o absorvente diário

O absorvente diário pode acabar por abafar a região vaginal. O melhor é usá-lo na menstruação e optar pelo uso de calcinhas de algodão, que deixam a região "respirar" melhor do que as outras de material sintético.

6 - Evitar usar a ducha

A ducha vaginal não é recomendada, ela não só pode trazer alterações negativas à região vaginal como também pode ser responsável por microlesões nessa região do corpo. De modo geral, explicam os ginecologistas, a vagina é um sistema autolimpante, por isso, a mulher pode se concentrar em limpar a parte externa do órgão.

7 - Não usar roupas justas

Por mais sexy que pareçam, as roupas justas prejudicam a "respiração" da região e podem facilitar a invasão de fungos e bactérias prejudiciais ao corpo humano. O ideal é usar peças mais folgadas e feitas de algodão. #região íntima